Modo Meu

02/05/2016 - Categoria: Livro - Autor(a): Mariana Fernandes

O Cavaleiro de Rubi

Olá pessoas! A minha última aparição por aqui foi quando escrevi um pouco a respeito do livro “O Trono de Diamante“, do autor David Eddings. Pois não é que eu recebi a tarefa de ler a continuação dessa história. Então, a dica de livro hoje é O Cavaleiro de Rubi“.

Como era de se esperar, o segundo livro começa onde o primeiro terminou. A rainha Ehlana ainda permanece enfeitiçada e Sir Sparhawk continua buscando a cura para a sua amada rainha. Quem leu o Trono de Diamante sabe que certo “fantasma” deu dicas a Sparhawk sobre como ele poderia curar Ehlana. Então, em uma corrida contra o tempo ele reúne mais uma vez os seus amigos e companheiros na busca pelo artefato que salvará sua rainha.

O Cavaleiro de Rubi - aberto

Enquanto Sparhawk segue em sua jornada épica, forças ancestrais de outro mundo começam a tramar contra o Campeão da Rainha e seus aliados. O cerco ao redor deles vai se fechando cada vez mais, os empecilhos vão aumentando e Sparhawk vai seguindo horas entrando em esquemas de guerras, horas buscando a cura para Ehlana e horas ajudando outras pessoas que vão aparecendo pelo caminho.

E é isso pessoal, continuo achando as mesmas coisas que eu achei do livro anterior. O Cavaleiro de Rubi é bem detalhado, na verdade ele é muito bem escrito. Ainda me é uma leitura bastante agradável, leve e divertida. Os diálogos possuem um leve toque de sarcasmo e a narrativa é bem delineada e compreensível. E que venha o terceiro e último, que venha A Rosa de Safira.


28/04/2016 - Categoria: 513 design - Autor(a): Mariana Fernandes

Mulheres do Design_513 Design

Nesse clima de mulheres #BelasRecatadasEDoLar e depois de um tempo sem vídeos no canal (principalmente de design), resolvemos falar um pouco sobre mulheres notáveis que atuam na carreira de design. Como na maioria das profissões, conhecemos profissionais notáveis, mas em sua maioria homens. Pensando nisso, decidimos apresentar mulheres que fizeram grandes feitos na área de design, para curtimos os seus trabalhos e termos referências mais femininas.

O que falamos no vídeo:

– Blog Console Cor de Rosa

Mulheres que falamos no vídeo:

– Susan Kare – primeira designer mulher da Apple;

– Paola Antonelli – curadora do Departamento de Arquitetura e Design do MoMa em NYC;

– Jing Zhang – designer de infográficos que já com clientes como  Parlamento Europeu, HSBC, IBM, Canon, Samsung, entre outros;

– Jessica Walsh – uma das maiores influências femininas no mundo do Design, é uma das sócias de Stefan Sagmeister no estúdio Sagmeinster & Walsh em NYC;

– Coralie Bickford-Smith – designer exclusiva da editora Penguin Books (P.S.: Fizemos um post sobre ela aqui no blog, olha lá);

– Ray Eames – junta com seu marido Charle Eames, a dupla projetou diversos moveis que trouxeram uma novo olhar para o mercado de móveis;

– Caitlin Winner – designer que mudou os ícones no Facebook ‘sem autorização’ por igualdade de gênero;

– Carol Shaw – primeira programadora e designer de games;

– Anne Tyng – tornou-se a primeira mulher a ser admitida na Escola de Design de Harvard;

– Brenda Romero – game designer da série Wizardry, é considerada uma das desenvolvedoras mais influentes e importantes da indústria dos games;

Vídeo anterior:

Siga nas redes:

Facebook: https://www.facebook.com/ModoMeu
Twitter: https://twitter.com/ModoMeu
G+: https://plus.google.com/+Modomeu
Instagram: https://instagram.com/modomeu/
Snapchat: modomeu


25/04/2016 - Categoria: Fotografia - Autor(a): Mariana Fernandes

B612_APP_Modo Meu

Nessa era de “aparência é tudo”, a nossa tão amada rede social de fotos, o Instagram, passou a ser só mais uma grama verde para exibirmos nossas conquistas para os vizinhos/seguidores. O lugar que antes exibíamos fotografias despretensiosas do jantar que saiu meio estranho, porém gostoso, do arranhão que levamos ao cair do patins ou de um gato sendo apenas um gato comum, hoje nos apresenta fotografias bem trabalhadas, pensadas e editadas. Na onda de fotografias mais bonitas e estilosas, indicamos o app B612, uma foma democrática de arrasar nas fotos do Instagram.

O B612 é uma aplicativo de efeitos fotográficos que promete deixar as nossas selfies mais estilosas. Com efeitos que vão desde cor, que por sinal tem uma infinidade que chega a cansar na hora de escolher, até construção de mosaicos de fotos. O app também permite filmar vídeos pequenos, de até 6 segundos, afim de imitar a nova função do Iphone 6, qual eu chamo carinhosamente de fotos do Harry Potter.

Telas_App B612_Modo Meu

Mas vem cá, por que democrático? Bem, acho que nunca consegui indicar aqui um app que tivesse presente em todos os sistemas operacionais usados. Ou seja, tem para iOS, Android, Windows Phone e Opera Mini, acredita? Ahhhhh, e a melhor parte para os nossos bolsinhos brasileiros que não aguentam o dolar: Sim amados, o app é gratuito!

Ok, é tanta coisa boa, cadê a parte ruim? Bem, não são tantas, para falar a verdade. A primeira delas é que ao tocar na tela o app tira a foto, ótimo para quem tem Android, mas a galera do iPhone dá uma erradas no começo, pois a função de toque na tela é destinada para focar a imagem, então sempre vai ter aquela foto meio “eita, não estava preparado”. Já o segundo é que entre os filtros, alguns pagam de breguices dos anos 90, mas como são tantos disponíveis, eu nem levo isso em consideração, vai que um dia eu preciso.

Espero que goste da indicação, e não esquece de dizer o que achou!


14/04/2016 - Categoria: Mobile - Autor(a): Dyego Cruz

altos-adventure-capa

Depois de tanto tempo sem falar absolutamente nada sobre um joguinho qualquer, hoje a bola da vez é mais uma dica para você que adora jogos do tipo “sem fim” (se alguém souber o nome desse estilo me diz que já procurei e não achei) e com várias “missões” a serem cumpridas.

Descobri Alto’s Adventure em mais uma daquelas passeadas básicas pela Google Play (sim, é assim que encontro esses jogos que indico aqui no blog), e fiquei impressionado com aquela capa bem diferente, tanto pelo nome quanto pelo fato de no título estar destacado o desenho de uma lhama na letra A.

altos-adventure-dia

Comecei a jogar e caí nas graças das Cordilheiras dos Andes na pele do personagem principal chamado Alto (por isso o nome hehe). Inicialmente a história do jogo diz que suas lhamas fugiram, sabe-se lá como e por que, e você deve descer montanha abaixo com seu snowboard para trazê-las de volta.

Mas com o passar e cumprimento das missões que o jogo te dá, a busca pelas lhamas fugitivas vai ficando cada vez mais irrelevante, pois por muitas vezes a únicas coisas que são necessárias para passar de nível e liberar novos personagens (sim, existem outros e claro, cada um com habilidades diferentes) são apenas coisas que podemos chamar de “superação de limites”.

altos-adventure-tarde

Sempre gostei desse estilo de jogo, e esse é bem interessante, pois a sua jogabilidade facílima permite fazer muitas manobras e acumular muitos pontos, além de poder pegar moedas e comprar algumas coisinhas para ajudar ou até mesmo usar esse dinheiro para pular algumas missões absurdas e muito complicadas de serem feitas.

Outra coisa que ia esquecendo, é que durante o jogo, o ambiente, o clima e o tempo vão mudando, o que faz com que você passe por vilarejos, florestas, chuvas, tempestades e também a noite, o que dificulta a jogabilidade, pois mesmo colocando o brilho no máximo, fica bem difícil de enxergar o cenário escuro da noite.

altos-adventure-noite

Bem, agora que falei pra caramba do jogo você deve estar se perguntando “mas presta?” ou “será que tem para o meu smartphone?”. Então lá vai, Alto’s Adventure está disponível gratuitamente para Android, já para quem quiser jogar no iOS, terá que desembolsar $2,99 (cerca de R$10,52 na atual cotação do dólar, que está de R$ 3,50). Infelizmente para Windows Phone, até agora a única notícia que consegui encontrar é que a empresa responsável pelo seu desenvolvimento (Built by Snowman) informou que ele será lançado para Windows 10, mas nada muito certo ou confiável até agora.

altos-adventure-personagens

Para quem gosta de desafios, este é um jogo maravilhoso, tanto de jogabilidade, quando de visual e quando dos tais desafios, posso garantir que ele vai te entreter durante muito tempo. Não é a toa que ele teve influência de jogos como Journey (2012), Monument Valley (2014), Tony Hawk’s Pro Skater 2 (2000), e Windosill (2009) e ainda foi ganhador de tantos prêmios como você pode ver no site oficial do Alto’s Adventure.


13/04/2016 - Categoria: Música - Autor(a): Dyego Cruz

supercombo-capa-modo-meu

Voltando com mais um resultado de minhas buscas por músicas aleatórias e mais um serviço de streaming (aproveitar enquanto a carnificina da internet limitada não chega e rezando para que não chegue), afinal quem acompanha o blog, já viu que já passei pelo finado Rdio, pelo Deezer e agora estou só no Spotfy descobrindo coisas novas.

E a dica da vez é a Supercombo, banda brasileira formada em 2007 que tem um estilo que mistura o rock com um pouco de indie rock, mistura essa que quando unidas com as letras de seu idealizador, Léo Ramos, nos mostra como o rock brasileiro ainda continua bem ao contrário do que as pessoas insistem em dizer por aí.

sumpercombo-letra-Leo-Ramos-letra-Soldadinho

Quando ouvi pela primeira vez não tinha percebido, mas a Mary que é muito melhor de ouvido que eu, achou a voz do Léo bem parecida com uma banda que conhecemos já faz um bom tempo, chamada 2ois, por sinal era muito boa e promissora, mas que foi apenas um projeto que projetou o sucesso do rapaz após ganhar o reality show Astros em 2009 (é o novo!!!!!).

Mas voltando ao presente, no total, até agora a Supercombo já lançou três álbuns, Festa? (2008), Sal Grosso (2011) e o meu favorito que me fez chegar até a banda, Amianto (2014). Claro que os demais também bons, mas este álbum tem um “quê” que consegue me prender e me fazer refletir sobre algumas coisas interessantes.

Vou dar como exemplo a música Amianto, falando sobre da tentativa de salvar uma pessoa de um suicídio, que na versão acústica ficou bem melhor com trechos a capella (ADOORO!!) e com sua melodia de transição entre o leve e o pesado, e o calmo e o agitado. Veja o clipe e entenda ;)

Outra música que adoro é a Piloto Automático, com sua temática falando sobre os jovens dessa geração atual de jovens (mas conhecida como geração Y), que tudo querem, mas nada fazem, apenas esperando que o “piloto automático” os levem para onde querem.

Enfim, acho que já falei demais, mas não podia deixar de dizer que além de servir para inúmeros momentos, sejam eles calmos ou agitados,  a banda é super legal e vale acompanhar para ver o que mais ainda vai vir por aí.

P.s: Recentemente a banda junto com a cantora Negra Li, lançou a música “Lentes” em parceria com a marca Sempre Livre para o festival de música Lollapalooza. Muito boa, olha só o clipe!

Abraço e até mais!