26/01/2015 - Categoria: Mobile - Autor(a): Dyego Cruz

total-pursuit-modo-meu-capa-1080x611

Confesso que não sou muito fã de jogos de corrida, tanto que os únicos que realmente gostei de jogar foram praticamente todos os Mario Kart’s, Cruis’n USA do Nintendo 64 e Need for Speed Underground e Need for Speed Underground 2 que tiveram versões para PC e Playstation 2. Mas hoje irei comentar sobre um joguinho bem legal e viciante para você jogar no seu Android.

Com um estilo de jogos infinitos e com uma jogabilidade com uma mistura de velocidade e agilidade na direção, Total Pursuit tem uma dificuldade diferente da maioria dos demais, já que se você bater em um poste ou em uma parede o carro explode de primeira.

A missão é basicamente ir em frente e tentar ir o mais longe possível, desviando dos carros e dos comboios da polícia tentando coletar o máximo possível de dinheiro e utilizando também alguns ítens como o clássico nitro e outro que para reduzir a velocidade e conseguir desviar com maior facilidade.

O jogo desenvolvido pela Pushing Box Studios atualmente só possui versão para Android e por enquanto não tem previsão de lançamento para iOS, então se quiser aproveitar o jogo e só tiver iPhone/iPad vai ter que pedir emprestado o android do seu amiguinho hehe.

Existem também duas versões, uma gratuita e uma PRO. E pelo que consegui perceber o mais legal é que na versão gratuita não tem muito daquela coisa chatinha das propagandas enchendo o saco e que na versão PRO existem ítens a mais para você chegar mais longe. Vou aproveitar e deixar o link na google play das duas versões.

Total Pursuit na Google Play

Total Pursuit PRO na Google Play


23/01/2015 - Categoria: Música - Autor(a): Dyego Cruz

Florence-Welch-1080x810

Voltando a falar sobre a lista de divas de Janeiro, só que mudando que dessa vez não é a Mary quem vai falar sobre hehe, hoje irei comentar sobre uma cantora, compositora e percursionista britânica com uma voz de impressionar chamada Florence Leontine Mary Welch.

Florence começou sua jornada musical ainda quando criança, teve uma certa influência de seus pais e durante a sua fase escolar, tinha alguns “probleminhas”, pois estava sempre cantarolando de improviso. Ela também sempre teve um fascínio com relação aos temas terror e ruína, o que se intensificou após a morte de seus avós, que vou preferir não detalhar isso aqui.

Após se formar, essa ruiva que possui uma voz impressionante se dedicou totalmente a música (o que agradecemos muito) e ganhou destaque nas paradas do sucesso pelo seu ótimo trabalho na banda Florence and The Machine, ou Florence + The Machine se preferir.

A banda que segue um estilo indie pop e toca uma mistura dos gêneros rock e soul teve seu início em 2007 e o seu primeiro disco, Lungs, lançado em 2009, fazendo maio sucesso na Inglaterra e até ganhando prêmios.

Lungs, que teve como maiores sucessos as faixas “Dog Days Are Over“, “You’ve Got The Love” e “Cosmic Love“, é um disco que tem grande parte do seu conteúdo “inspirado” no término de um namoro de Florence, o que se você prestar bem atenção nas letras até faz sentido.

Todos temos nossas músicas preferidas em um álbum de seu artista favorito e geralmente não ouvimos algumas outras, mas no caso de Lungs, é um raro achado em que cada faixa tem o seu “charme”.

Em 2011, Florence + Machine lança o seu segundo álbum, intitulado Ceremonials, que dessa vez teve um sucesso imediato e que teve como principal faixa “Shake It Out“.

Continuando com suas aparições, a banda também teve uma de suas músicas que não estão em nenhum dos dois álbuns como trilha sonora no filme Branca de Neve e o Caçador, chamada “Breath of Life“.

Atualmente Florence já está trabalhando no terceiro álbum da banda, que tem como previsão de lançamento ainda nesse ano de 2015, e não para por aí, hoje mesmo enquanto estava escrevendo esse post foi divulgada uma notícia em que Rihanna teria registrado uma música em que nos vocais esteja presente também a própria Florence Welch (veja aqui).

Espero que tenham gostado e podem esperar que semana que vem teremos uma diva surpresa para vocês aqui no blog, mas enquanto isso, fiquem com mais Florence + The Machine.


22/01/2015 - Categoria: Livro - Autor(a): Elizabeth Viana

Champion_Modo Meu - marie lu - editora rocco - trilogia legend

Olá pessoas?! Então, como havia prometido na resenha anterior, cá estou eu com a “minha opinião” sobre o terceiro livro da trilogia Legend e estou feliz, pois consegui finalizar essa leitura bem antes do que imaginei, ainda bem! Bora lá, começar?

Para saber um pouco mais sobre a autora Marie Lu e os outros livros, veja aqui o livro Legend e aqui o livro Prodigy.

Depois de terem aberto mão de muita coisa em prol do povo da República e de terem “sacrificado” o sentimento que tinham um pelo outro, e de terem ajudado o país a finalmente começar um novo momento, uma boa mudança, June e Day caminham separados agora. Day já não é mais o criminoso mais procurado da República, ele é o herói nacional, o garoto propaganda do governo do grandioso Eleitor Anden. June voltou a ser a menina-prodígio da República e ocupa uma posição bastante privilegiada do governo como Primeira Cidadã, e assim passa a maior parte do tempo ao lado de Anden.

Porém, nem June e nem Day poderiam prever os acontecimentos nada agradáveis que os reuniriam novamente.

No momento em que a paz parece iminente, um vírus mortal começa a se dissipar nas colônias, e a ameaça de guerra volta a rondar as cidades fronteiriças da República. E Day descobre não ser tão saudável como imaginava.

Essa nova praga é a mais mortal de todas. Com o desenrolar da história, descobre-se que June é a única que possui a chave para a defesa do país. Mas para tentar salvar a vida de milhares de pessoas June terá que pedir a Day que, mais uma vez ele abra mão de tudo que lhe restou, o seu irmãozinho Éden.

Entre o caos da guerra, a fraca saúde de Day e o medo de que a República seja tomada pelas Colônias, June, Day, Anden e alguns dos Patriotas, tentam encontrar uma forma de vencerem a guerra.

champion - marie lu - editora rocco - trilogia legend

Champion é um livro e tanto… Pronto, falei! É o melhor dos três. Agora tenho que repetir o que já disse a respeito dessa obra e dessa autora incrível, Marie Lu construiu uma história extraordinária. Champion possui um final maravilhoso, belo e sensível. E Marie Lu o fez caprichado e muito mais rico de detalhes e diálogos, a nossa imaginação vai a mil.

Quando a gente começa a pensar que o final será de um jeito vem essa autora linda e nos dá uma reviravolta mais linda ainda.

O nome é Champion – Do Caos e da Lenda surgirá um Campeão, mas eu não vi só um campeão, o que eu vi foi um país cheinho de campeões, quanto à lenda… Bom, só a Day e sua criadora Marie Lu.

Link para compra no Submarino


21/01/2015 - Categoria: Série - Autor(a): Mariana Fernandes

Smash_Modo Meu

A gente aprende desde cedo, com filmes e séries, que devemos seguir os nossos sonhos por mais impossíveis que eles pareçam, mas quando crescemos descobrimos que o caminho a ser seguido é bem mais longo e cheio de pedras, por mais que o desejo não seja tão incrível como o de entrar para a Broadway, mostrado na série que lhes apresentarei: Smash.

Com início em fevereiro de 2012, a série de estilo musical é produzida por nada mais nada menos do que Steven Spielberg, e tem como enredo a busca de artistas a conquistarem seu brilho na visada Broadway. De início Smash se foca nas personagens Karen Cartwright (Katharine McPhee), uma atriz que acaba de entrar em New York e está apenas no começo de sua jornada aos grandes palcos, e Ivy Lynn (Megan Hilty) uma veterana já calejada com essa vida e que já chegou ao ponto de fazer tudo por um papel de destaque.

Smash - Season 2

O papel em questão é da diva Marilyn Monroe, da peça “Bombshell” (Devastadora) que tem tudo para dar certo, mas nem tudo é as mil maravilhas. Contando com a produção da personagem Eileen Rand (Anjelica Huston) que é experiente no ramo, mas dessa vez quer trabalhar longe do domínio do seu ex-marido, criação de roteiro e melodia da dupla Julia Houston e Tom Levitt (Debra MessingChristian Borle), um casal de amigos inseparáveis que você só aprende a amar cada vez mais, e direção do excêntrico Derek Wills (Jack Davenport), a causa da maioria dos conflitos, porém o trabalho é brilhante.

A primeira temporada aborda os bastidores de criação e ensaio de Devastadora, apresentando conflitos, ambições para alcançar os papeis. Já na segunda a peça da primeira em destaque divide espaço com a independente “Hit List” (Lista Negra), criada por uma dupla de amigos, que com apoio de alguns personagens consegue entrar em cartaz no centro, uma lugar sem poucos prestígios, mas bom para quem está começando.

Karen Cartwright e Ivy Lynn_Smash Houston & Levitt_Smash Smash - participações especiais

Bem, depois dessas duas temporadas temos um final as pressas, pois infelizmente a série foi cancelada. De acordo com minhas pesquisas, o canal alega ter cancelado por falta de público, mas estranhamente Smash até então tinha um público bom e era bem criticada, porém após uma mudança para um horário considerado ruim, o óbvio aconteceu e deu motivos para que ela ganhasse um fim.

O bom da série é que conhecemos um pouco da vida nos teatros mais famosos do mundo, além disso, alguns pontos apresentados pelo site Teleséries me faz pensar sobre nos porquês de Smash não ter acabado. Em primeiro lugar, não existes vilões na história, apenas situações na vida que as levam para um lado bom ou ruim. A série apresenta participações incríveis de: Uma Thurman, Nick Jonas, Jennifer Hudson e Liza Minelli. E pelo que percebemos, uma parte da segunda temporada nos leva para o novo projeto da dupla Houston & Levitt, o que dá a entender ser o foco da terceira temporada.

Reunindo todas essas informações, fica claro que esse fim foi uma grande perda para as séries, mas fazer o que? Quem sabe o Netflix (ps. está disponível lá) nos traga de volta.

smash

20/01/2015 - Categoria: Animação - Autor(a): Dyego Cruz

THE LEGEND OF KORRA

Na semana passada eu comentei aqui sobre A Lenda de Aang, e hoje falarei sobre a série que a sucedeu e que está fazendo o maior sucesso atualmente, acho até que mais que a primeira hehe.

Começando em um ponto que se passa após 60 anos o final da lenda de Aang, essa nova série já começou com traços de desenho diferentes, com algumas expressões diferentes, já que logo no início quem domina os quatro elementos já são chamados de “dominadores”, o que só acontece a partir da segunda temporada da lenda de aang, pois no início eles eram chamados de “dobradores”.

Seguindo a ordem natural de reencarnação do espírito do Avatar, Korra nasceu na Tribo da Água do Sul, e diferente de como foram reveladas as identidades dos avatares anteriores, ela se revelou uma criança prodígio, (uma pivete do “buchão”) já conseguia dominar Água, Terra e Fogo.

the-legend-of-korra-child

Após anos de treinamento, Korra finalmente teve que aprender a dominação de ar com Tenzin, filho de Aang, e enquanto isso, também teve que lidar com vários problemas de aprendizado com o ar e com Amon, um mascarado que se diz o líder dos igualitários que tem alguns segredos e poderes bem incomuns.

a lenda de korra - tenzin e o mestre do ar

O carisma da personagem principal é tão bom quanto o avatar anterior e conta principalmente com a ajuda de personagens que são descendentes diretos dos personagens mais legais como Tenzin, mestre do ar e filho de Aang, Katara, mestre da água e mãe de Tenzin (sim, spoiler na sua cara e ela ficou com Aang no final :p) e Lin Beifong, filha de Toph Beifong. Sem esquecer também da sua grande cadela Ursa de estimação NAGA.

Muitos flashbacks bem reveladores também ocorrem para mostrar um pouco mais sobre alguns eventos que explicam o que houve em vários momentos e também ajudam Korra a desvendar alguns probleminhas, graças as suas visões de suas vidas passadas, ou seja, se está com saudades de Aang, ele vai aparecer aqui também, um pouco diferente, mas irá aparecer.

the-legend-of-korra-endgame-avatars-1280x718

A Lenda de Korra também é divida em livros (temporadas) e atualmente já está no seu quarto livro, que são Livro 1: Ar, Livro 2: Espíritos, Livro 3: Mudança e Livro 4: Equilíbrio (que ainda está em andamento). Se quiser assistir e ver o quanto é boa, aproveite enquanto o primeiro livro está disponível no netflix.

UPDATE P.S: A série também foi produzida por Michael Dante DiMartino e Bryan Konietzko e ainda é exibida pela Nickelodeon.