Modo Meu

Posts da autoria de: Dyego Cruz

08/09/2017 - Categoria: 513 Design - Autor(a): Dyego Cruz

Ferramentas de Design Barato

No vídeo de hoje, falamos sobre ferramentas que parecem ajudar, mas que na verdade prejudicam mais tanto o design, quanto o próprio cliente que resolveu escolher usar.

Comentados no vídeo:

Vídeos anteriores:

Modo Meu nas redes:

Facebook: https://www.facebook.com/ModoMeu
Twitter: https://twitter.com/ModoMeu
G+: https://plus.google.com/+Modomeu
Instagram: https://instagram.com/modomeu/


30/08/2017 - Categoria: Animes - Autor(a): Dyego Cruz

Após um bom tempo sem acompanhar nada de anime que não fosse One Piece e Shingeki no Kyojin (Attack On Titan), resolvi sair da rotina de séries de TV “mainstream” e comecei a procurar alguns mangás para ler e consequentemente animes para assistir. Então foi aí que dei de cara com Fuuka.

A história criada e ilustrada por Kōji Seo gira em torno de Yuu Haruna, um garoto que mora com suas três irmãs, mas que não mantém amizade com pessoas de verdade, apenas conectado com seus amigos virtuais do Twitter. Até que um dia, enquanto ele está voltando para casa depois de comprar o jantar, ele esbarra com a linda Fuuka Akitsuki e a partir daí se inicia toda a trama e o envolvimento desses dois.

Personagens

Yuu Haruna é um garoto altamente introvertido, imaturo e altamente influenciável, algo que por muitas vezes nos faz ficar com muita raiva de várias coisas que ele decide dizer e fazer, mas graças a extrovertida Fuuka, ele consegue até começar a conversar com pessoas (hehe) e fica muito visível o quanto o personagem amadurece no decorrer da história.

Fuuka Akitsuki é aquele personagem clássico que tem um grande carisma, está sempre sonhando (e correndo atrás dos sonhos é claro) e sempre atraindo amizades. Algo que une não só ela com Haruna, mas os vários outros personagens, é o amor e admiração que todos tem pela banda fictícia The Hedgehogs (que acredite ou não, quando eu comecei a ler o mangá, achei que pudesse existir de verdade), com a voz da vocalista sendo feita pela Manami Numakura. O plot principal do anime é essa admiração e a vontade de criar uma banda tão famosa que iria superar os tais Hedgehogs e tocar no Budokan (uma grande arena de shows situada no centro de Tóquio e que costuma representar grandes concertos de rock).

Existe uma outra personagem que vejo mais como secundária e que as vezes também é beeeeeeem chatinha, mas que acredito ser necessário citá-la, que é a Koyuki Hinashi, uma amiga de infância de Haruna, que na história já é uma cantora famosa e faz muito sucesso em todo o Japão (no anime quem dubla e canta as músicas dela é Saori Hayami) e que é apaixonada pelo nosso protagonista (isso tá na cara desde a primeira aparição/diálogo).

Plot

Como é possível ver até agora, toda a história gira em torno de música, assim como o anime de 2004, Beck, então claro que fica um pouco chato pensar num mangá que fala de música, mas que não é possível ouvir nada e nem mesmo ver as letras das músicas, e é aí onde vale muito a pena você dar uma espiada no anime também, que foi lançado agora em 2017 e tem apenas 12 episódios, mas que é muito bom, principalmente pelo fato de você poder ouvir/SENTIR as músicas, é realmente uma outra experiência, pois enquanto lia o mangá, apenas ficava imaginando tudo o quanto tudo aquilo significava, mas quando ouvi as músicas, começando pela abertura, foi uma ótima sensação de imersão e entendimento.

Curti bastante a variação de personagens, inclusive a inserção do Makoto Mikasa, que é homosexual e não tem medo de falar isso abertamente, mas que infelizmente tem problema com o pai rico por N motivos, inclusive o preconceito.

Tudo é muito cativante e acontece bem rápido, principalmente no anime, mas vou logo deixando claro que o final do anime (que já terminou) é “deveras” diferente do que acontece no mangá (que ainda está em andamento), o que deixou vários fãs bem #chateados e é possível encontrar muita coisa ruim por aí. Por isso acredito que começar pelo anime pode ser uma boa, e ler o mangá já sabendo que vai ter mudanças e com mente aberta, irá te dar uma visão muito mais ampla dos acontecimentos, da personalidade e amadurecimento de cada personagem.

Classificação

Algumas peculiaridades que eu não poderia deixar de citar é que na classificação do mangá, ele é tido como Shounen, Sobrenatural, Romance e Ecchi, mas a questão do Ecchi quase não existe no anime, isso acontece bem mais no mangá, mas nada que explique o fato de ser recomendado “para maiores”. E com relação ao sobrenatural, muito no início dá essa impressão, mas depois infelizmente essa “magia” ligada ao signicado do nome da Fuuka, que no kanji tem caracteres para “vento” e “verão”. Com relação ao Shounen, não sei exatamente onde se encaixaria, pois é uma história que não é voltada apenas para o público masculino e não tem batalhas (de pancadaria) em momento algum.

No mangá, além de ter uma maior profundidade, existem novos personagens muito importantes e que acredito que não vão aparecer no anime, mesmo que por um acaso venha a surgir uma segunda temporada.

Só para o caso de surgir o interesse, caso você não queira sair por aí baixando o anime como todo mundo faz, você pode ir direto nesse link do Crunchyroll, ou acessar esse post que fala de outros sites que você pode assistir não só esse, mas outros vários animes. Vou aproveitar e deixar aqui o clipe da música principal (Climber’s High!) para você já ir entrando no clima.


10/08/2017 - Categoria: 513 Design - Autor(a): Dyego Cruz

No vídeo de hoje, falamos sobre o término da pós-graduação em Design Editorial da Mary. Quais os módulos que ela mais gostou e para você que ainda tá boiando, ela explica também o que vem a ser uma pós e quais são as suas vantagens.

Comentados no vídeo:

Campanha no Catarse

Vídeos anteriores:

 

Modo Meu nas redes:

Facebook: https://www.facebook.com/ModoMeu
Twitter: https://twitter.com/ModoMeu
G+: https://plus.google.com/+Modomeu
Instagram: https://instagram.com/modomeu/


08/08/2017 - Categoria: Livro - Autor(a): Dyego Cruz

Como já dizia Stan Lee através do Tio Ben, “Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades“, mas já parou para pensar se todos os seres que conseguissem poderes sobre-humanos somente se importassem em impor a sua vontade e soberania para dominação de nações?

É exatamente o que Brandon Sanderson passa para nós nesta obra chamada Coração de Aço, Livro I da série Executores, publicada no brasil pela editora Aleph. Com uma narrativa tensa, as vezes eufórica, e com capítulos curtos (ótimo para você que não curte parar a leitura no meio de um capítulo), este livro prende a sua atenção e é tipo assim, MUITO difícil de parar a leitura.

A história segue sem muita enrolação e sempre direto ao ponto que precisamos chegar, até mesmo quando estamos dentro da cabeça do narrador e personagem principal, David. Um garoto que viu seu pai ser morto pelo imponente Coração de Aço, e milagrosamente conseguiu escapar da vista de seu algoz. “Eu já vi Coração de Aço sangrar. E o verei sangrar novamente” é o seu bordão principal, mas é só isso que posso revelar por enquanto hehe.

Pois bem, passando um pouco dessa breve introdução, este é um livro de ficção de uma realidade distópica, formada e dominada pelos que são chamados de Épicos, pessoas que ganharam poderes dignos de heróis e vilões após um evento misterioso chamado Calamidade, que nesse primeiro volume aparentemente não tem lá tanta importância, já que é comentado apenas como uma data e nada mais é detalhado. David dedica sua vida, literalmente, a estudar os Épicos e se juntar aos Executores, um grupo “rebelde” que luta contra a opressão destes seres com poderes misteriosos.

Existem diversos diálogos sobre as motivações de cada integrante do grupo e fica claro qual o papel de cada um e como também não podia faltar, muita coisa não é o que parece ser, e outras parecem ser bem mais do que parecem. Meio complicado de entender, mas se eu começar a explicar então a história vai perder a graça.

Algumas gírias são introduzidas nos diálogos, como “slontze“, “faíscas” e também “calamidade“, cada um deles utilizados de maneira bem colocada ao que se propoem ser, afinal prefiro que cada um interprete da maneira que melhor lhe convir, então não vou dar muito significado caso não tenha lido o livro ainda.

Mas resumindo, este é um livro que você vai terminar bem rápido e ficar com o coração a ponto de explodir durante alguns acontecimentos e partido quandoa história chegar ao fim. Espero que venha logo o próximo da série e que contine tão bom quanto esse primeiro.

Link para compra do livro ;)


11/07/2017 - Categoria: 513 Design - Autor(a): Dyego Cruz

Lembra do planner que vocês tanto perguntavam? Hoje estamos lançando uma campanha no catarse para tentar colocar o projeto no mercado. Dá uma olhadinha e ajude como puder.

O que é o Big Plan?

O Big Plan é o projeto de uma agenda organizacional com foco nerd que teve início em 2016. A sua criação teve objetivo de apresentar um produto com representação nerd para um mercado que de acordo com as nossas pesquisas, não era um nicho considerado por ele.

O Big Plan conta com ilustrações feitas a mão, baseadas em datas nerds, pensadas e estudadas para que trouxesse curiosidade e induzisse os usuários a consumir mais conhecimento. As páginas internas, pensadas para trazer liberdade para os planejamentos possuindo o tamanhos iguais para todos os dias da semana. As anotações, feitas para aqueles momentos que só a folha do final do caderno é o que precisamos. A página de financeiro, para cuidar do dinheiro. Além disso, vale comentar que o projeto não é datado, permitindo que o usuário use o produto quando preferir.

Mas o que é o Catarse mesmo?

O Catarse é a maior plataforma de crowdfunding do país. Ele tem a função de viabilizar projetos independentes fazendo com que investidores de grandes a pequenos se aproximem de pequenos projetos independentes.

No caso do nosso projeto, ele irá funcionar assim: Escolhemos o modelo “Tudo ou Nada”. Nele, pedimos um valor x e você pode investir o quanto desejar dos nossos kits que ficam a direita, em troca, você receberá as recompensas citadas no kit. Se atingirmos a nossa meta, recebemos o dinheiro e tomamos o projeto para frente, se não atingirmos, nós não receberemos nada e você recebe o seu dinheiro de volta. Nada mais justo, não?!

E como faço para contribuir?

  • Escolher uma recompensa que mais goste e caiba no seu bolso, à direita da página.
  • Fazer o login com seu e-mail ou Facebook.
  • Preencher seus dados com muita atenção, pois estes serão realizados para que possamos enviar a recompensa.
  • Selecionar a forma de pagamento (cartão de crédito ou boleto bancário, o que for melhor para você), e confirmar o apoio.
  • Compartilhar a campanha com todas as pessoas que você conhece. Este passo não é obrigatório, mas a gente ia gostar.

Recompensas

  • Nome nos agradecimentos
  • Stickers em PDF
  • Cartaz Lambe Lambe
  • Camisa
  • Caderno (A6)
  • Bolsa Sacola
  • Kit lápis e caneta
  • Planner

Metas Estendidas

  • 28k – projeto finalizado
  • 35k – melhorias nas recompensas e mais produtos
  • 40k – ??????? vamos pensar!

Prazos

  • Julho – campanha
  • Agosto – fim da campanha
  • Setembro – recebimento e produção
  • Outubro – produção
  • Novembro – envios

Comentados no vídeo:

Caso queira conhecer mais do projeto: