Modo Meu

Nerve – Um Jogo Sem Regras | Snapchat é você?

31/08/2016 - Categoria: Filmes - Autor(a): Dyego Cruz

nerve-movie

Já parou para pensar que no mundo em que vivemos atualmente, somos todos dominados por algum aplicativo? Seja ele o WhatsApp, Facebook, Twitter, Instagram, Snapchat e por aí vai a infinidade de coisas que nos deixam vidrados na tela do computador ou do smartphone. Agora imagina um aplicativo aonde o objetivo é realizar todos os desafios formulados pelos usuários anônimos e assim conseguir cada vez mais “views” e mais dinheiro.

Em plena era Pokemon GO, eis que surge nas telinhas do cinema Nerve – Um Jogo Sem Regras, que trás como temática principal o domínio que um jogo pode ter sobre seus usuários, tanto os que se mostram, quanto os que ficam apenas no anonimato lançando seus desafios sociopatas.

O foco da trama está em Vee (Emma Roberts), a garota que está prestes a terminar o ensino médio e tem o sonho de ir para uma faculdade que não é a que sua mãe quer, apenas um pequeno clichê para alimentar ainda mais a sua chama de resolver participar do tão aclamado jogo chamado Nerve. Nele o usuário pode escolhe ser Watcher (observador anônimo) ou Player (jogador). Por mais que o título brasileiro tenha “Um Jogo Sem Regras”, existem sim algumas algumas bem básicas, mas o filme deixa tudo bem explicado, então acho melhor não acabar com as possíveis surpresas que podem acontecer durante a sua sessão.

nerve-film-1024

Se o que Ariel SchulmanHenry Joost queriam passar para o público, era de que qualquer um está sujeito a se entregar as vontades alheias de estranhos e que na verdade estamos vivendo essa realidade só que de uma maneira um pouco mais “saudável”. Pode ter certeza que eles conseguiram fazer isso com maestria. Pois enquanto você assiste, se envolve com os problemas de Vee com sua mãe e amigos, e se envolve ainda mais com o drama de Iam (Dave Franco).

Uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a o uso real de computadores e aplicativos já existentes no nosso cotidiano, como o Spotfy, Google Chrome, Facebook e o mais importante, o Nerve foi para mim, um comparativo imenso com o Snapchat e com o poder que os usuários tem sobre as pessoas que querem ou já são famosas e querem apenas se manter no topo.

O filme realmente foi além das minhas expectativas e me pegou de surpresa com toda essa temática, que é praticamente o que estamos vivendo, a trilha sonora sensacional do Rob Simonsen e a ótima fotografia com “N” closes e cores de Michael Simmonds.

maxresdefault (1)

Claro que existem algumas pequenas falhas, como por exemplo o fato da mãe de Vee (Juliette Lewis) ser até bem tranquila (até demais na minha opinião) com relação a alguns acontecimentos e o fato de que um cara consegue alterar um código aberto que ele nunca viu para o que ele quer em apenas alguns minutos.

Mas mesmo assim, não são essas pequenas coisinhas que conseguem estragar a beleza e os mistérios que aguardam em Nerve. Com certeza você também deveria dar uma chance a ele. Por tanto aproveite o filme e uma dica rápida, não seja um dedo-duro. ;)

P.S: Por último, mas não menos importante, temos que agradecer a Anna Larissa, do blog Console Cor de Rosa, que foi quem nos convidou para ver o filme.

ATUALIZAÇÃO!

Desde que assistimos o vídeo, a Mary estava encucada achando que tinha visto um youtuber famoso entre os figurantes. E não é que ela tinha razão! O que quase ninguém comentou é que o Nerve conta com a participação, memos que minuscula, de Casey Neistat (aqui ó), além de outros pequenos easter eggs como a aparição de James Franco, irmão do protagonista.


Posts relacionados