Modo Meu

Whiplash, a perfeição que levou ao oscar

27/01/2015 - Categoria: Filmes - Autor(a): Angelo Fonseca

Whiplash-poster-1280x720

Quando vi o trailer desse filme há uns meses atrás fiquei realmente curioso, pois além de ser um filme que envolvia o aprimoramento musical de um estudante de conservatório, era um filme sobre baterista (sim, eu também sou hehe), que como muitos músicos já sabem, nem sempre tem a atenção merecida pelos expectadores. Mesmo estando em uma banda mundialmente conhecida ou principalmente em uma orquestra ou grupo musical, o baterista em muitos casos, precisa ser um verdadeiro “polvo” tocando, para ser lembrado. Além de ter uma técnica e coordenação motora de dar inveja ao Dr. OCTOPUS.

No filme, o jovem estudante de música, Andrew (Miles Teller), está no primeiro ano de formação musical e seu interesse em ser um bom baterista de jazz é notável já no primeiro minuto do longa, onde sua performance chama a atenção do maestro da instituição, Terence Fletcher (J.K Simmons), que é um dos maestros e músicos mais renomados e exigentes do país. Tal encontro rende a Andrew um convite para um teste na orquestra principal do conservatório mais cultuado do estado.

O maestro Terence Fletcher é conhecido por exigir o melhor dos seus músicos, independente dos métodos nem um pouco didáticos e muitas vezes abusivos e impiedosos. Onde para o jovem Andrew se tornar o melhor músico se mostra a tarefa principal de seu dia a dia, mesmo que sua saúde mental e física seja afetada diretamente pelos métodos do maestro Fletcher.

Treinos e estudos diários se tornam a alimentação principal para encarar toda pressão psicológica de ser o principal baterista da orquestra. Onde calos de sangue nos dedos, curativos e muito gelo nas mãos  se tornam rotina para a vida do jovem baterista.

whiplash-2014-large-picture

Obs.: Sim, estudar bateria exaustivamente exige um esforço constante nas articulações dos dedos e tendões dos pulsos, ocasionando sim, alguns calos e talvez tendinites indesejadas. Mas basta alongar bem e aquecer da maneira correta para se evitar essas lesões.

Outro destaque para o filme é a abordagem das técnicas musicais e do conhecimento que os atores demonstraram no decorrer do longa, pois Miles Teller realmente é baterista e tocou muito bem em boa parte dos takes em tela.  Músicos experientes se sentirão a vontade com os termos muitas vezes contantes em suas partituras e ensaios, algo que não atrapalha em nada um leigo admirador de boa música. Que por sinal, a trilha presente em Whiplash: Em Busca da Perfeição é algo primoroso e de extremo bom gosto.

whiplash-11-1728x800_c

Interpretações poderosas e marcantes junto a um roteiro pegajoso e eletrizante, fazem desse filme um dos grandes candidatos nas categorias principais do Oscar 2015. Então fica aqui a recomendação de um dos grandes filmes do ano, apesar de estrear em Janeiro aqui no Circuito nacional.


Posts relacionados