Modo Meu

Categoria: Cinema e TV

17/09/2011 - Categoria: Séries - Autor(a): Raquel Campos

Oi gente, fui convidada pela Mary para contribuir com o blog, acerca dos assuntos que envolvem entretenimento. E se tem uma coisa que sou viciada é em séries de Tv.

Acredito que desde o início da minha adolescência (que já faz um tempo, hahaha) nunca fiquei sem acompanhar uma série. Ainda bem!

E pro meu post de estreia, resolvi falar de True Blood, série vampiresca, que acabou de concluir sua quarta temporada. A série estreou junto com o boom de Crepúsculo, e me ganhou por não ter NADA a ver com a saga dos vampiros que brilham.

Muito além dos vampiros, a séries envolve outros personagens místicos, um pouco bizarros até. Quem já assiste True Blood sabe do que estou falando.

Não quero soltar nenhum spoiler, mas a quarta temporada me ganhou completamente. Estava desanimada com a série depois da segunda e terceira temporada, mas depois de ter assistido a quarta inteirinha, espero ansiosamente pela próxima. Essa última temporada me fez querer assistir um episódio por dia.

E para as meninas que ainda estão em dúvida se começam ou não a assistir a série, posso adiantar que True Blood é a série aonde mais tem homem bonito por m².

Confira algumas fotos dos principais personagens:

Sexta que vem tem mais!

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.


19/08/2011 - Categoria: Filmes - Autor(a): Mariana Fernandes

green-lantern-banner-09mai2011

Para quem esta afim de se divertir este final de semana, hoje tem estreia o filme Lanterna Verde para a alegria de uns e desinteresse de outros.

Supre criticado peles fãs dos quadrinhos, este filme está uma polêmica só, pois alguns fãs alegam que o filme esta mal feito e a história completamente diferente…

Bem, eu não sei o que dizer sobre isso, pois não sou uma mega fã de Lanterna Verde, mas acho que vale a pena assistir para pelo menos poder falar o que achou.

Bom final de semana! Divirtam-se…


09/08/2011 - Categoria: Filmes - Autor(a): Mariana Fernandes

Para quem não soube, o filme The Tree of Life (A Árvore da Vida) estreou em Fortaleza no sábado por volta das 10 da manhã (pasmem). Vários amigos me convidaram, mas infelizmente eu tinha reunião neste horário e não pude ir.

Não posso criticar o filme pois não assisti, mas deixo para os curiosos a crítica do filme feita por um amigo super talentoso que é dono do blog Curtas de Longas e colaborador no blog CineMMania.

Para quem gostou do texto, vai lá no blog conferir…

“Sincero e exaustivamente belo

O filme mostra a vida, mais especificamente a infância e parte da fase adulta, de Jack, um homem oprimido que assim como qualquer pessoa normal teve acertos e falhas. O foco principal fica na relação entre ele e sua família, e mostra como a vida na Terra tem se apresentado desde o Big Bang até os dias atuais de uma maneira que envolva questionamentos da existência humana, fé e as relações entre as pessoas.

…é um filme lento, austero e solene, algo que muitas pessoas poderiam resumir em uma palavra só: ‘chato’. Pessoalmente não concordaria com esta síntese” (Isabela Boscov em sua crítica ao filme Homens e Deuses). A Árvore da Vida é um daqueles filmes em que as razões para gostar são inúmeras, bem como para desgostar. Um filme com pensamentos existenciais requer um nível de paciência para aqueles que não gostam desse tipo. Aqui nós temos um forte confronto em todo o filme da beleza e riqueza de detalhes versus monotonia e banalidade. Gostaria de deixar bem claro que achei o filme muito real e com grandes cargas emocionais muito bem distribuídas, mas onde está um dos pontos mais característicos do filme, está também o mais fraco, que é a excesso de cenas detalhistas.

As cenas da origem do planeta são belíssimas, a fotografia é belíssima, a trilha sonora é belíssima, a edição de cenas, por mais que haja demasiados cortes, também é belíssima e inteligente. Visualmente o filme é impecável e radicalmente original. Porém, por mais que a história que serve de plano de fundo para o desenvolvimento do filme seja agradável e de certa maneira carismática, ficou banalizada em vista de tamanha beleza e critério na escolha das imagens.

Hunter McCracken é um jovem ator que interpreta o personagem Jack quando criança, e é um dos destaques de A Árvore da Vida. Hunter sustenta grande parte do filme com uma técnica que muitos atores com vasta experiência não têm. Brad Pitt interpreta o pai de Jack, Jessica Chastain – outro ponto alto do filme – interpreta a mãe de Jack, e Sean Penn faz Jack adulto. O diretor Terrence Malick apresenta aqui um filme com ideias fortes e caprichado na metafísica. As comparações com 2001 – Uma Odisséia no Espaço do diretor Stanley Kubrick são quase inevitáveis. A fotografia lembra em alguns momentos as ideias de Gaspar Noé e uma cena especificamente me remeteu a um dos filmes de Fellini. Não que A Árvore da Vida tenha seguido os caminhos desses filmes, mesmo por serem deveras distintos, mas o que tento afirmar aqui é que como resultado, o filme gerou algo que, ao mesmo tempo em que conseguimos perceber referências (sejam elas involuntárias ou não), é experimental, ousado e lindo.

Utilizei as palavras de Isabela Boscov, pois acho que servem perfeitamente para A Árvore da Vida. Uns podem classificá-lo como monótono e arrastado: chato; porém outros julgarão um dos mais belos filmes já feitos. Fico em parte com o segundo grupo de pessoas, porém compreendo totalmente o primeiro. Uma coisa é certa, toda a sinceridade e dedicação são visíveis e conseguem deixar o filme mais intrigante quando esse acaba.”

Por: Ávila Sousa

Super curiosa para ver!


06/04/2011 - Categoria: Filmes - Autor(a): Mariana Fernandes

Deixo com vocês mais uma dica de filme para divertir os dias morgados. Como de costume, deixo a sinops com o Cinema com Rapadora, que nesse caso, são bem melhores do que eu, que só sei passar tarde e tardes assistindo filmes. Espero que gostem.

“Dirigido por Ivan Reitman (“Os Caça-Fantasmas”), a comédia romântica “No Strings Atacched” acaba de ganhar novidades. Primeiro foi um trailer e logo em seguida um pôster mostrando os protagonistas Ashton Kutcher (“Par Perfeito”) e Natalie Portman (“V de Vingança”).
Na trama, Emma (Portman) e Adam (Kutcher) são amigos de sexo de longa data. Com o passar do tempo, ambos começam a se apaixonar e tal fato é visto ora com desconfiança, ora com aprovação pelos amigos próximos.O elenco ainda conta com Mindy Kaling (da série “The Office”), Olivia Thirlby (“Juno”), Kevin Kline (“A Pantera Cor de Rosa”), Cary Elwes (“Jogos Mortais”), Lake Bell (“Simplesmente Complicado”), Talia Balsam (“A Grande Ilusão”). A distribuição é da Paramount.”

Assista o trailer:

Referência: Cinema com Rapadura

09/02/2011 - Categoria: Filmes - Autor(a): Mariana Fernandes

Ao que tudo indica A Garota da Capa Vermelha parece ser um bom filme. O que lembrar ser a história de Chapeuzinho desta vez ela está em um cenário medieval e acredito que não seja recomendado para crianças tão novas assim. Protagonizado por Amanda Seyfried o filme estreia dia 21 de Abril no Brasil, o que resta é esperar. Confira o Trailer e a sinopse do site Cinema com Rapadura.


”Valerie (Seyfried) é uma bela e jovem mulher dividida entre dois homens. Ela está apaixonada por um estranho forasteiro, Peter (Fernandez), mas seus pais lhe arranjaram um casamento com o rico Henry (Irons). Na tentativa de permanecerem juntos, Valerie e Peter planejam fugir juntos até que eles descobrem que a irmã mais velha de Valerie foi morta por um lobisomem que ronda a escura floresta que circunda a aldeia. Durante anos, as pessoas têm mantido uma trégua com a fera, oferecendo a criatura um animal em sacrifício mensalmente. Mas, sob uma lua de sangue vermelho, o lobo para de atacar e leva uma vida humana.

Com sede de vingança, o povo chama um famoso caçador de lobisomens, padre Solomon (Oldman), para ajudá-los a matar o lobo. Mas a chegada de Solomon traz conseqüências não intencionais quando ele adverte que o lobo, que toma forma humana de dia, poderia ser qualquer um deles. Como o número de mortos aumenta a cada lua, Valerie começa a suspeitar que o lobisomem poderia ser alguém que ela ama.

À medida que o pânico aumenta, Valerie descobre que ela possui uma conexão única com a fera, que inexoravelmente os aproxima, fazendo dela uma suspeita … e uma isca.”

Cinema com rapadura