Modo Meu

Categoria: PC

30/10/2012 - Categoria: Console - Autor(a): Pedro de Farias

Quem cresceu no final dos anos 1990 certamente se lembra, nem que sejam por notícias de proibição, de Carmageddon, o polêmico jogo onde o objetivo principal era atropelar pedestres numa corrida assassina.

Pois bem; Para a alegria de nós que tivemos essa infância doentia feliz, a Stainless trás de volta esse clássico dos jogos psicopatas, dessa vez para o IOS. Estando presente em Ipads e Iphones, e com previsão para androids em breve. E quem não conheceu na época, pode se amarrar também.

O que volta?

Eu nunca joguei o título original, comecei no”2″. Mas ele parece ser bem fiel ao primeiro jogo da série, isso inclui suas qualidades e defeitos.

Voltam os carros incríveis, que tem um desing dos mais criativos que eu consigo lembrar, desde o ”Eagle” e o ”Hawk”, que são os carros principais, diferenciados no visual apenas pela cor, vermelho e amarelo respectivamente, que emulam carros esportivos mas com um serrote fixado por toda a carroceria, até a coisas menos discretas como um trator escrito “gotcha” em sua pá ou uma station wagon com esteiras de tanque no lugar de rodas.

Voltam os carros de polícia, que não existiam nos títulos posteriores da série, apenas no original.

Os pedestres burros que literalmente se jogam encima dos carros. Que acho até que é uma grande mancada do game, poderiam manter as melhorias do Carmageddon 2 e também do TDR 2000, terceiro jogo da série. Que tinham pedestres muito melhor desenhados, realmente em 3D, não em sprites, e com uma inteligência artificial minimamente ”inteligente”.

Os controles também remetem ao do primeiro, que são horríveis, é impossível fazer uma curva a mais de 60Km/h sem o carro deslizar como se a pista fosse de gelo, ou também, qualquer pequena rampa com o carro passando apenas a 40Km/h causa um efeito fake de velozes e furiosos.

O controle de danos do game continua pífio. Com os carros que caem de prédios sem sofrer dano nenhum ou carros com atributos no máximo destruindo outros apenas tocando-os de leve, até gravei um vídeo jogando pra exemplificar essa distorção:

O que melhorou?

Os gráficos meus amigos! Apesar da ressalva que fiz ao desenho dos pedestres, os gráficos são incríveis, ainda mais se tratando de um dispositivo móvel. É incrível você perceber que um tablet ou smartphone atual pode se equivaler a um console, e até mesmo transformar os jogos originais, pra pcs que na época tinham apenas 16Mb de memória, quando muito, em peças de museu.

Pura diversão

Mesmo com os defeitos que são os mesmos de 15 anos atrás, o jogo ainda diverte muito! E nós somos até capazes de desconsidera-los completamente quando lembramos que trata-se um jogo de um dispositivo móvel, e que é melhor e mais divertido do que uns 97% dos jogos de mesma plataforma.

Passei horas jogando até conseguir liberar todas as pistas e carros, tentando vencer as corridas das 3 maneiras possíveis, atropelando todos os pedestres, destruindo todos os carros ou da maneira tradicional completando as voltas em primeiro.

Recomendadíssimo se você não se importa com a violência gratuita e sem sentido que permeia a história (ou falta dela) do game!

Seria belo se mais jogos que marcaram a era de supremacia dos jogos de PC voltassem para celulares e tablets. Aguardo principalmente”interstate 76”, ”Full Throttle” e ”Grim fandango” ;D

 Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.


25/09/2012 - Categoria: Console - Autor(a): Caio Túlio Costa

Quem nunca teve o prazer de jogar e se deliciar com Worms? Se sim, meus parabéns, você cumpriu uma meta de vida. Caso sua resposta seja não, leia esse post e corra atrás do tempo perdido! Você não vai se arrepender.

Worms é um projeto da companhia britânica Team17, que implantou e difundiu um dos estilos mais cativantes do mundo dos games, a Artilharia Estratégica. Criado em 1995, o jogo apresenta carismáticas minhocas que se dividem em times para massacrar umas as outras. Baseado em turnos, a mecânica do game faz com que cada jogador controle um esquadrão, que utiliza os artifícios mais variados para atacar. O último integrante sobrevivente garante a vitória a seu time.

Worms no ModoMeu1

Pode até parecer simples e bobinho, mas seu grande diferencial vem do Design. A estética do jogo garante incontáveis gargalhadas a quem joga. As minhocas são todas feitas de cartoon e os cenários muito bem elaborados. A marca registrada de Worms, sem sombras de dúvida, são os comentários mais aleatórios e malucos que os vermes fazem a cada ação. Na dublagem em português do Brasil, as falas chegavam até a baixar a moral do jogador, por exemplo: Errar um tiro poderia fazer com que vários gritos como “Cego; Atira a mãe ; Caolho etc., ficassem ecoando na cabeça.

Além do modo versus convencional que permite até quatro jogadores simultâneos, Worms conta com o modo de missões. Vários desafios de tempo, armas e estratégias para ganhar pontos são estabelecidos e oferecidos aos jogadores. Com isso, há diversos tutoriais disponíveis que servem para se familiarizar com todas as armas, mobilização e pequenos detalhes da jogabilidade.

Worms no ModoMeu2

Armas como carneiros-bomba, ataques kamikaze, bazucas potentes e vacas explosivas são as coisas mais comuns dentro do universo de Worms. Com mais de 15 títulos espalhados entre PCs e Videogames, a franquia passou por diversas otimizações e modernizações, se enquadrando bem no quadro de games atual e ainda conquistando fãs e adeptos.

Worms no ModoMeu3

Vencedor de muitos prêmios e sucesso de crítica, a recepção de Worms no mercado, assim como aceitação pública, é sensacional e surpreendente. Não é nenhuma novidade, afinal, é o que se pode esperar de uma explosão de criatividade que desde a década de 1990, vem marcando gerações.

Confira um pouco do GamePlay de Worms:

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.


06/09/2012 - Categoria: Console - Autor(a): Caio Túlio Costa

Criado pela aclamada Hudson Soft. (responsável pela série Mario Party) em 1983, Bomberman é uma clássica franquia que continua no cenário gamer até os dias de hoje.

Protagonista em mais de 60 títulos, Bomberman incrementou o conceito de estratégia dos jogos da época criando um novo visual, estilo e jogabilidade. A história tem foco nas aventuras de um robô criador de bombas em seus passos como defensor na justiça e suas tentativas de se tornar humano. O cenário é na maioria das vezes o Planeta Bomber, localizado na Galáxia Bomber Nebula e se encaixa perfeitamente na franquia, que possibilita vilões robôs, bandidos cibernéticos e até uma polícia intergalática em que Bomberman é integrante em alguns títulos.

Bomberman no Modo Meu2

O objetivo do game é completar todos os níveis destruindo os inimigos que nele se encontram. Vários obstáculos, barreiras e “Power Ups” como mais poder de fogo e alcance estão espalhados pelas fases, que são verdadeiros labirintos que referenciam outros clássicos como Tetris, Mario e Zelda. A presença de Chefes e mascotes no melhor estilo Yoshi, também são cadeiras cativas nos jogos.

O Multiplayer de Bomberman é um dos modos mais queridos de toda a franquia. As opções de Cooperativo e Versus dão aos jogos uma ótica fantástica que atrai muitos curiosos e traz sempre novos adeptos. Muitos dos que se aventuram pelo mundo dos clássicos já passaram, passam e passarão alguns bons minutos jogando com os amigos.

Bomberman no Modo Meu4

Todas as plataformas exploradas pela franquia variam desde o saudoso Mega Drive, passando pelos portáteis como Nintendo DS e Mobiles, atingindo os grandes como X-Box e PCs. Jogar Bomberman é firmar uma verdadeira viagem à geração passada e garantir uma boa seção de Nostalgia. Além de reforçar a percepção e raciocínio rápido, é lógico.

Confira um pequeno vídeo com o padrão de modo Versus da franquia:

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.


20/06/2012 - Categoria: PC - Autor(a): Dyego Cruz

O tema de hoje é sobre um dos mais populares MMORPGs (Massively multiplayer online role-playing game) do mundo com alguns míseros milhões de usuários.

Para os que não conhecem, World of Warcraft é um jogo online de ação e aventura, produzido pela Bilzzard, que acontece no fantástico mundo de Azeroth, usado desde o primeiro jogo da série Warcraft: Orcs & Humans de 1994.

warcraft_01_03-modo-meu

O gráficos não são de impressionar e a jogabilidade também é um pouco complicada para quem é acostumado com o bom e velho estilo do Point and Click, como no Diablo por exemplo, mas o enredo do jogo e a personalização dos personagens, raças e classes são bem variadas e garantem muita aventura e diversão.

world-of-warcraft-black-temple-modo-meu

Além de ser online, o jogo também é pago, mas para quem não quiser simplesmente pagar, não gostar e ficar de mimimi depois, é só ir lá no Battle.net, fazer o cadastro e baixar a versão Starter (Gratuita) para ver o que acha.

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.


09/05/2012 - Categoria: Console - Autor(a): Dyego Cruz

Este meus amigos, é um jogo de ação/aventura em terceira pessoa que além de um pouco mais de atenção, requer um pouco de paciência, afinal ser um assassino não é tão simples e requer muitos cuidados para não ser pego.

Infelizmente o único que joguei até agora foi o primeiro na época que só tinha um pc mais ou menos (acho que por isso não cheguei até o fim), então falarei apenas um pouco sobre a história geral da série sem muito aprofundamento.

Cena do Assassin's Creed

A história do jogo é meio estranha e complicada de se entender no começo (por isso a atenção), pois ela ocorre em sua maioria dentro das memórias de pessoas que são descendentes diretos de uma linhagem da Ordem de Assassinos através de uma máquina chamada Animus¹, produzida pelas Indústrias Abstergo, que são na verdade os sucessores dos Cavaleiros Templários que estão a procura dos Pedaços de Éden².

¹Animus: máquina que consegue de alguma maneira criar projeções 3D a partir das memórias que estão no DNA de uma pessoa, muita viagem essa parada, imagina só passear pelas memórias dos seus ancestrais.

²Pedaços de Éden: artefatos com muito poder criados por Aqueles que vieram antes, possívelmente criaturas que vieram do espaço e deixaram algum tipo de dispositivo no planeta (pelo menos foi o que consegui descobrir sobre o assunto sem jogar).

Assassins Creed Visão Cidade

Os jogos lançados para console até agora foram:

– Assassin’s Creed (acontece durante a Terceira Cruzada).
– Assassin’s Creed II, Assassin’s Creed: Brotherhoot, Assassin’s Creed: Revelations (acontecem durante a Renascença).

E com data previsão de lançamento em 30 de Outubro de 2012, está o Assassin’s Creed III, que acontecerá durante a Revolução Americana.

Lembrando também que existem dois livros da história do jogo a venda no Brasil que são Assassin’s Creed – Renascença e Assassin’s Creed – Irmandade.

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.