Modo Meu

Bem-vindos ao Jurassic Park

17/09/2015 - Categoria: Livro - Autor(a): Israel Del Duque

Jurassic Park - Foto do site http://nerdgeekfeelings.com/

Era uma vez uma editora. Um dia essa editora decidiu que ia fazer um monte de lançamentos bacanas e levar seus leitores à falência. Essa editora é a Aleph (mas podia ser a Editora JBC também, porque esse ano ela levou boa parte da minha grana. Mas isso é assunto pra outra hora). O livro da vez é Jurassic Park, de Michael Crichton, e não teve hora melhor para fazer esse lançamento do que agora, junto com a estreia do novo filme, Jurassic World.

Estrategicamente falando foi uma ótima jogada, não só em relação ao marketing que o livro acabou recebendo pela estreia do filme, mas também pelos objetivos da editora, que é basicamente apresentar a Ficção Científica para novos leitores. E aí entraram títulos como Star Wars (que não é FC propriamente dita, mas não vamos entrar nesse mérito agora), O Planeta dos Macacos, e outros títulos já anunciados, como Alien e Eu sou a Lenda.

E, claro, Jurassic Park.

Créditos: http://gimmeshelter.com.br/

A história do livro – que começa como um relato, conferindo certa veracidade aos fatos retratados – é basicamente a mesma do primeiro filme (aquele lá de 1993), com algumas (MUITAS) diferenças. A primeira delas é que a história é mais longa. Algo óbvio, porque num filme de duas horas não dá pra colocar exatamente todo um livro de mais de 500 páginas, como bem vimos acontecer em Harry Potter e a Ordem da Fênix. A diferença é que o livro não anula a adaptação de Jurassic Park para as telonas, mas mostra uma visão um pouco diferente dos fatos.

Mas me justifico: a história parece mais longa porque acontece muita coisa, dando a impressão de que eles passaram mais tempo na Ilha Nublar do que apenas dois dias.

Já deu pra perceber que não dá para não comparar os dois produtos, então vou me resguardar apenas ao tom da história. No livro temos um tom mais de terror, não no sentido de dar sustos, mas na atmosfera que os personagens estão inseridos. Eles convivem o tempo todo como medo. Já na versão cinematográfica temos um tom mais de aventura. Claro que há o medo dos dinossauros, mas ele não é tão intenso quanto no livro.

Créditos: http://3.bp.blogspot.com/

Por se tratar de um livro de FC, temos muitas explicações e especulações. Teoria do Caos, Engenharia Genética e clonagem (na época sequer cogitava-se a existência da ovelha Dolly, primeiro mamífero clonado com sucesso) servem como base para o desenvolvimento do enredo.

O livro recebeu uma edição caprichada (em minha opinião um dos melhores projetos gráficos do ano, ao lado do já citado O Planeta dos Macacos) e conta com uma entrevista do autor à revista Cinefantastique, falando um pouco sobre a produção do filme – que ele ajudou a roteirizar – e um pósfácio escrito por Marcelo Hessel, comentando mais a fundo as diferenças entre livro e filme e levantando os temas abordados.

Mas o chamariz do livro são as ilustrações internas e as bordas todas em vermelho. É um livro que realmente chama a atenção assim que você passa por ele em qualquer lugar da livraria, e um bom exemplo de como o livro impresso também serve como peça decorativa.

Créditos: http://3.bp.blogspot.com/

Se você também quer ter essa obra na sua prateleira, siga os links:

P.S.: vocês precisam ler esse livro por motivos de: Ian Malcom. Esse personagem é sensacional. Estejam avisados.

P.S. 2: créditos das imagens – http://nerdgeekfeelings.com/http://gimmeshelter.com.br/.


Posts relacionados