Modo Meu

Mergulhando na Idade Média com a resenha de O Trono de Diamante

21/10/2015 - Categoria: Livro - Autor(a): Elizabeth Viana

CAPA_O-TRONO-DE-DIAMANTE_MODO-MEU

Olá, pessoas! Hoje a resenha é desse livro que mal acabei de ler e já adoro pacas. O livro é O Trono de Diamante, de David Eddings e foi publicado no Brasil pela editora Aleph. Caso você não o conheça aqui vai algumas coisas a respeito… Eddings nasceu em 7 de julho de 1931 e faleceu em 2 de junho de 2009, mas antes de sua morte, foi Bacharel em Artes pela Reed College e mestre em Artes pela Universidade de Washington. Eddings também serviu no exército dos Estados Unidos, trabalhou como comprador na Boeing Company. Foi vendedor em uma mercearia e professor de inglês. Ao visitar uma livraria, ele viu um exemplar de O Senhor dos Anéis, então ele resgatou um antigo esboço rabiscado e, a partir dele, criou o mundo em que se passam os livros das séries Belgariad e Malloreon.

O Trono de Diamante é uma fantasia, e bem parecida com a idade média. Quando eu li a sinopse logo me lembrei dos filmes O Feitiço de Áquila e Willow – Na Terra da Magia. Lembrei também de Hamlet, em certo ponto.

A História é a seguinte, o reino de Elenia encara uma grave crise política. O rei Aldreas morreu vítima de uma doença obscura, e Ehlana, sua única filha subiu ao trono. Mas em poucos meses, ela foi acometida por uma estranha doença, que “coincidentemente” tem os mesmos sintomas da doença que matou seu pai. Traída pelo primo bastardo e por um clérigo corrupto, a legítima soberana de Elenia sobrevive graças a uma poderosa magia lançada por Sephrenia, a feiticeira, e por doze destemidos cavaleiros.

MAPA_O-TRONO-DE-DIAMANTE_MODO-MEU

Ehlana, tal qual a Branca de Neve, jaz adormecida em seu trono protegida por uma barreira de cristal. Mas o tempo é mau. Uma a uma, a vida dos que estão envolvidos no encantamento vai sendo consumida até que a vida da jovem rainha sucumba. E é aí que surge Sir Sparhawk, cavaleiro da Ordem Pandion. Ele acaba de retornar a Elenia após dez anos de exílio. Mas ao ser atualizado dos acontecimentos no reino pelo seu fiel escudeiro Kurik, ele resolve partir em uma busca obstinada pela a cura que salvará sua rainha e seu reino, até porque essa cura tem que ser encontrada antes do transcorrer de um ano. Então, Sparhawk segue correndo o mundo tentando enfrentar o tempo, as autoridades vigentes e toda a sorte de perigos que ele encontra no caminho, perigos reais e sobrenaturais. Mas ele não vai sozinho. Em sua jornada de luz e escuridão, ele vai contar com a ajuda de seus “brothers” de armas, de Kurik, da feiticeira, de um jovem ladino e de uma misteriosa garotinha. Por fim, o cavaleiro Pandion descobrirá que o mal pode ser ainda maior e mais profundo do que ele imagina.

E é isso. O livro é bem detalhado, a gente vai lendo e vai visualizando todas as cenas. Adoro isso. Também é engraçado. Foi, de fato, uma leitura muito divertida. O Trono de Diamante é uma obra excelente e de leitura fácil. Já estou ansiosa pelo próximo, doida pra ler sobre a vida desse pessoal… De novo. Se você é fã de fantasia, histórias medievais e de RPG, pronto, tem que ler esse livro. Ou não.


Posts relacionados