Modo Meu

dcTag:

04/08/2016 - Categoria: Filmes - Autor(a): Mariana Fernandes

Esquadão Suicida - Modo Meu

Nesta quarta, dia 03 de agosto, eu e Dyego fomos a aguardada e polêmica estréia de um dos filmes mais esperados de 2016. O majestoso Esquadrão Suicida, que começou a semana com excesso de críticas negativas/regulares nunca vistas antes na historia dos filmes de hq (mentira, lembrei do Lanterna Verde). Após filme assistido, logo eu que não sou muito fã da DC, eu recebi a missão de dizer o que achei, então vamos lá!

Primeiramente tenho que ressaltar o quanto uma crítica negativa hoje em dia afeta o filme, pois enquanto antes críticas eram apena coisa de chato que pagava de entendedor, hoje ela faz com que aqueles fãs de carteirinha cogitem não ver o filme e ainda xingar sem ao menos ter visto. Absurdo? Sim ou com certeza?

Mas vamos ao que interessa, o filme. Depois de um ano de fotos vazadas, trailers pra que te quero, entrevistas, análises e tudo mais, enfrentei dois dias de críticas pesadas e fui para sala do cinema sem nenhuma expectativa, tanto por conta das opiniões negativas, quando por eu querer analisar mais para poder apresentar o máximo de pontos aqui.

suicide squad

De ante mão vou logo falando que o filme não é ruim, porém tem falhas, e qual não tem!!?? Vamos ser sinceros, um filme de super-herói é tipo essas roupinhas de – como dizem a blogueiras de moda – fast fashion (C&A, Zara, Riachuelo), bonita, legal, agrada, mas não vai durar muito. Mas como assim? Oras, o Esquadrão Suicida foi feito simplesmente para vender, distrair e entreter, não espere um Oscar dele!

Achei o filme bem divertido pra falar a verdade. Visual bacana, bons atores, personagens legais e tiradas hilárias (pelo menos no caso do dublado, já que não consigo ver 3D legendado), tem mais o que esperar?

Claro que sempre tem o lado negativo, então vamos a ele. Juguei um roteiro muito rápido, se assim posso dizer. Sabe aquela sensação de não ter conseguido respirar de tanta informação? Era personagem para apresentar, que por sinal houve um foco maior em somente dois, história para contextualizar, luta para mostrar que meu Deus é muita coisa pra colocar em um filme só. Sei que os personagens não são conhecidos ao ponto de usar a estrategia Marvel de apresentar em filmes individuais, mas não dá pra negar que ficou muita coisa para 2h 10min.

SUICIDE SQUAD

O que eu mais gostei/amei/isso me fez gostar? Bem, achei a estética de apresentação dos personagens bem divertida e condizente, e dessa vez, dessa única vez o 3D valeu a pena, das atuações em especial da Margot Robbie (Arlequina) que ficou muito no estilo da personagem dos desenhos, e a trilha sonora ma-ra-vi-lho-sa e me fez vibrar cada vez que uma música tocava!

Para concluir, acho que deu a entender que Esquadrão Suicida não é o melhor filme de quadrinhos já feito, mas que diverte, disso não tenha dúvidas.

Bom filme!


17/01/2013 - Categoria: Animação - Autor(a): Caio Túlio Costa

Super Best Friends Forever - O lado rosa do Universo DC Modo Meu

DC Nation é o quadro do Cartoon Network que exibe várias animações e atrações do Universo DC. Sucessos como Justiça Jovem, Lanterna Verde e Jovens Titãs são os mais queridos pelos telespectadores.

Para atrair vários tipos de público, foram inseridos à programação do quadro a exibição de curtas animados entre os intervalos. Sendo a maioria voltado para as crianças, é aí que entra Super Best Friends Forever!

É a nova série de curtas criada por Lauren Faust, a responsável pela animação de My Little PonyMeninas Super Poderosas e A Mansão Foster para Amigos Imaginários. A atração aborda o cotidiano das versões adolescentes da Wonder GirlBatgirl e Supergirl e é direcionada ao público feminino. Esperar os pais dormirem para combater o crime e levar sermões de outros Super-Heróis são apenas algumas das várias situações vividas pelas protagonistas.

Super Best Friends Forever - O lado rosa do Universo DC 2 Modo Meu

Com grandes pitadas de comédia e descontração, a fórmula cativante de Super Best Friends Forever tem tudo para ser uma série querida e adorada não só pelos fãs do Universo DC, mas também por todos os telespectadores.

Confiram alguns episódios curtinhos:


29/10/2012 - Categoria: Cinema e TV - Autor(a): Dyego Cruz

Crossover no Modo Meu Capa

Sabe quando você vê aquele seu personagem favorito, do seu universo favorito, se encontrando, ou lutando, com outro que não tem nada haver e que é de outro universo totalmente diferente ou até do mesmo universo, mas de histórias bem diferentes? Não se assuste, isso nada mais é o que um crossover.

Kamen-Riders modo meu 4

Mais conhecido nos quadrinhos, o crossover nada mais é do que o encontro de personagens com histórias sem ligação alguma, ou até mesmo uma mudança na sua história, mas que podem tanto perntencer ao mesmo universo, quanto serem de universos diferentes, um exemplo clássico disso é o encontro de persogangens da DC com personagens da Marvel (revistas como Marvel vs DC/DC vs Marvel), geralmente se enfrentando.

Batman_Hulk01 modo meu 3

Além de ser utilizado mais para confrontar personagens para ver quem seria o vencedor de uma batalha sangrenta entre eles (Alien vs Predador), o “evento” crossover também ocorre em seriados (Friends e Mad About You), jogos eletrônicos (Kingdom Hearts é o maior exemplo), desenhos (Simpsons vs Futurama), animes (Tsubasa Chronicles), filmes (Os Mercenários 2) e até mesmo nas produções da TV brasileira, como no Sai de Baixo e Toma lá da cá e algumas novelas também.

Marvel-vs-Capcom-3-modo-meu-6

No caso específico da DC e da Marvel, as duas dividem até o direito autoral de um personagem, o nome dele é Acesso e vive “passeando” entre os dois universos sempre se envolvendo em problemas cósmicos que põem em risco esse mundos (achei essa informação meio duvidosa, então se você tem algo a dizer sobre ela, fala aí nos comentários ;) ).

UPDATE: Após confirmação com o leitor Luis Garavello e tira dúvidas com o amigo @phsantos, confirmo que o personagem Acesso realmente existe na série DC vs Marvel O Conflito do Século.

kingdom_hearts_2_wallpaper modo meu 5

Vale ressaltar que existem muitos crossovers oficiais e muitos também não oficiais criados por fãs que adoram ver o seu herói detonando outros personagens de outros universos.

Avengers_vs_JLA modo meu 2

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.


04/06/2012 - Categoria: Animação - Autor(a): Caio Túlio Costa

Static Shock Modo Meu

Durante a década de 90, a aclamada DC Comics resolveu abrir espaço para que um pequeno estúdio, chamado Milestone, pudesse utilizar suas distribuidoras e gráficas para comercializar seus quadrinhos. Tudo isso se deu pelo grande potencial que o estúdio demonstrava ter. Sob o acordo de dividir parte dos lucros obtidos, a parceria foi um sucesso.

Todos os personagens produzidos pela Milestone Comics eram negros e residiam na cidade fictícia de Dakota. Embora as histórias abordassem, em sua maioria Super Heróis, temas como desigualdades sociais, conflitos entre gangues e consumo de drogas eram muito explorados em seus quadrinhos.

Principais personagens da Milestone Comics

Criado por Dwayne McDuffie e John Paul Leon, o Static Shock, ou Super Choque, foi o maior sucesso dessa parceria de editoras. A história cativante girava em torno de Virgil Hawkings, um adolescente de 15 anos, muito sagaz, bem-humorado, companheiro e descolado. Um dia, ao se ver no meio de uma briga de gangues de Dakota por acidente, Virgil é vítima de uma grande explosão de produtos químicos que afeta todas as pessoas que estavam pelas proximidades do local. Os efeitos do desastre alteram o DNA de todos, inclusive o de Virgil, que agora tem o poder do eletromagnetismo.

As vítimas do Big Bang (como foi chamada a explosão de químicos) são conhecidas como Meta-Humanos ou Transformados. A partir desse contexto, Virgil Hawkings decide se tornar um super-herói para evitar que, todos os afetados pelo desastre, que em sua maioria pertenciam a gangues, abalassem a paz da cidade de Dakota.

 No inicio dos quadrinhos, assim como na série animada, era retratada uma história fora do Universo DC. Personagens como Superman e Batman eram apenas referenciados. A partir do desenvolvimento bem elaborado do enredo e a grande aceitação do público, a série passou a exibir crossovers com personagens variados, que iam de Bruce Wayne de The New Batman Adventures até a própria Liga da Justiça, que na mesma época da animação de Static Shock, tinha uma série homônima.

Misturando muito humor, drama, aventura e ação, a fórmula do sucesso da franquia de Static Shock também era um show de homenagens. Diversas participações especiais dentro da série foram feitas com celebridades da vida real, algumas até dublando a si mesmas. O jogador de basquete Shaquille O’Neal, A.J. Mclean, o membro dos Backstreet Boys e até o cantor Lil’ Romeo, que foi responsável pelo segundo tema de abertura do seriado, foram referenciados e serviram de pontos cruciais para o desenvolvimento de arcos dentro da história.

A adaptação animada de Static Shock foi o maior motivo de sua popularidade. Produzida pela Warner Bros. Television, a série conta com 52 episódios divididos em 4 temporadas e foi exibida originalmente entre 2000 e 2004. O grande sucesso garantiu reprises em vários canais e horários, inclusive na TV Aberta.

Confira uma das aberturas da série animada:

Atualmente, Static Shock faz parte dos Teen Titans, fazendo sua primeira aparição em Terror Titans #4 e entrada oficial em Teen Titans vol.3 #69.

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.

Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.