Modo Meu

dragon ballTag:

22/06/2015 - Categoria: Animes - Autor(a): Israel Del Duque

DRAGON BALL Z: O RENASCIMENTO DE FREEZA

Se você, assim como eu, ficou um tanto decepcionado com Dragon Ball Z – A Batalha dos Deuses, O Renascimento de Freeza é o filme que vai te fazer respirar aliviado e voltar a ter confiança no que Akira Toriyama está preparando para Dragon Ball Super. Em minha defesa, eu gostei de Batalha dos Deuses, mas muitas das escolhas feitas no filme me incomodaram muito e ele vale mesmo pela nostalgia.

E falando em nostalgia, é o que não falta no novo longa dos guerreiros Z. Afinal de contas, trata-se do retorno de um dos vilões mais icônicos da cultura pop das ultimas décadas.

A história é simples: uma tropa sobressalente do Exército Freeza, comandado agora por Sorbet (um ser que parece um coala), resolve que chegou a hora de ressuscitar seu soberano, e para isso está vagando pelo espaço à procura do planeta Nameku para pedir às Esferas do Dragão que tragam Freeza de volta. Sem sucesso, o grupo chega na Terra e, graças a ajuda de Pilaf e seus companheiros, consegue pedir que o vilão ressuscite.

DRAGON BALL Z

Logo na primeira cena do filme você se pergunta se entrou na sala certa, e então descobre o que se passa na sequência em que Shenlong realiza o desejo de Sorbet: Freeza está no inferno, mas um diferente daquele visto no fim de DBZ, quando todos os vilões já derrotados estão assistindo Goku lutar contra Majin Boo (eu “lembro” dessa cena porque vi recentemente em DBKai). Na versão do anime, Freeza está em sua última forma. Na do filme, o vilão está preso num casulo, porém em sua versão ciborgue. A minha teoria é a de que, quando Toryama fez o mangá se esqueceu desse detalhe, e agora teve a oportunidade de reparar esse erro.

Mas não se preocupem, pois isso não interfere no enredo do filme. Na verdade da margem para uma das melhores cenas do filme.

Assim que o Imperador do Mal retorna, as batalhas começam, e o mais interessante é que o filme traz Mestre Kame e Tenshinhan de volta a ativa, personagens que foram descartados durante praticamente toda a fase Z. São eles que ajudam Gohan e os outros a deter o Exército de Freeza enquanto Goku e Vegeta estão treinando com Whiss. Vale ainda lembrar que um novo personagem entra na jogada: Jaco, o Patrulheiro Galáctico. Muitos podem não saber, mas este personagem protagoniza um quadrinho de volume único feito pelo próprio Akira Toriyama por volta de 2012, e que faz ligação com Dragon Ball (daí a participação dele no filme). É Jaco quem avisa Bulma que Freeza ressuscitou e está vindo para a Terra.

FREEZA

O filme tem muitas piadas boas (pode ser exagero meu, mas Era de Ultron fica no chinelo com as piadas de DBZ), a animação é muito bem feita e as cenas de luta que todo mundo estava esperando n’A Batalha dos Deuses estão todas aqui e são dignas de qualquer saga do anime. Um ponto positivo é que o filme começa de maneira rápida, sem perder tempo, e em menos de 15 minutos Freeza já está vivo de novo e se preparando para voltar para a Terra.

Entretanto, um dos pontos negativos é a ausência de vários personagens e a falta de explicação em algumas coisas. A rapidez do enredo atrapalha um pouco, por exemplo, a entender como foi que Goku e Vegeta se transformaram em Super Saiyajin Deus Super Saiyajin (termo que sequer é citado na dublagem, para evitar uma possível confusão). Fica óbvio que eles treinaram por muito tempo com Whiss, mas talvez fosse interessante mostrar, ou pelo menos explicar melhor, essa evolução.

Enfim, é uma batalha épica, é nostálgico, é muito bom, é Dragon Ball como gostamos. Vale o ingresso.

Dica: quando for assistir espere a música acabar, pois tem um cena pós-créditos que encerra o filme da maneira mais Dragon Ball possível.


01/06/2015 - Categoria: Animes - Autor(a): Rodrigo Emannuel

db super-cdz soul of gold-digimon adventure tri

Fala galera, hoje o papo aqui é até certo ponto nostálgico, mas vai com calma, sem muita sede ao pote, que não vamos só relembrar o passado, mas sim colocar um dos pés no presente, e o outro logo ali, num futuro bem próximo.

O ano de 2015 traz consigo a volta de alguns animes mais do que consagrados, entre eles estão Digimon Adventure Tri, Dragon Ball Super e Cavaleiros do Zodíaco Soul of Gould. Os três animes tem uma coisa em comum nessa nova etapa: A difícil missão de resgatar os fãs antigos, e a mais difícil das missões, conquistar também a nova geração.

É claro que isso não é fácil, agradar dois públicos de gostos muito distintos é bem complicado. Mas vamos lá tentar destacar alguns dos pontos que podem tornar essa missão árdua, um grande sucesso. E para começar, vamos é claro, de Digimon Adventure Tri. Alias, juro solenemente (de dedos cruzados), que serei imparcial quanto a esse anime.

Digimon Adventure Tri

digimon-tri.1920x1200

A primeira coisa que agrada, e muito, nessa volta de Digimon Adventure, agora Digimon Adventure Tri, é a presença de todos, eu disse TODOS os personagens que faziam parte do eixo principal, lá no inicio da saga. Quem aí, que assim como eu acompanhou a saga durante toda infância, não sentiu falta de ver a dupla Tai e Agumon se aventurando no DigiMundo ?

Digimon Adventure teve também como um de seus pontos fortes, os laços de amizade que a saga priorizava. Talvez esse fator se torne um atrativo, até mesmo para o público mais jovem, que viu um pouco disso em animes como Naruto, mas não teve a chance de presenciar isso em relações como a de Tai e Agumon, ou Ash e Pikachu em Pokemon.

Outro elemento muito legal, é o fato do anime se passar já com os personagens todos em fase adolescente/adulta, o que com certeza, somado ao fato de eles já conhecerem o DigiMundo, vai render ótimas histórias.

Digimon Adventure Tri chega no dia 21 de Novembro de 2015, e infelizmente será em um formato que não estamos muito acostumados a ver, Toei Filha da Puta, o que viria a ser uma série, será um filme dividido em seis partes, POIS É! Tomara que dê pelo menos para matar um pouquinho da saudade, e se ainda não viu o video-promo, confere ae:

Cavaleiros do Zodíaco – Soul of Gould

CDZ - SOUL OF GOLD - capa

Cavaleiros do Zodíaco já está rolando, vai ter ao todo 12 episódios, e na minha opinião está muito, mas muito foda. A série se passa após os acontecimentos da Guerra Santa (Saga de Hades), nas terras geladas de Asgard. Logo após o sacrifício dos Cavaleiros de Ouro na batalha contra Hades, eles são misteriosamente revividos em Asgard, onde um homem chamado Andreas, está no comando no lugar de Hilda (aquela mesma da Saga de Asgard), overdose de Asgard até aqui.

Os adversários são os novos Guerreiros Deuses, que tem como aliado, um estranho poder desconhecido. Os Cavaleiros de Ouro, todos os 12, utilizam armaduras divinas em Soul of Gold, e finalmente tem a chance de mostrar de fato o seu verdadeiro poder.

A série já está sendo um sucesso, e diferente de Cavaleiros do Zodíaco Ômega, que ao meu ver não agradava tanto os antigos fãs, Soul of Gold tem se mostrado muito interessante, principalmente por explorar muito mais os Cavaleiros de Ouro, coisa que a infelizmente interrompida Lost Canvas vinha fazendo muito bem. E como eu não sou de dar spoilers, quem ainda não viu, fica só com o video-promo:

Dragon Ball Super

Dragon-Ball-Freeza-Super

SIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIM, EU SEI QUE MUITO PROVAVELMENTE JÁ TA SABENDO DESSE LANÇAMENTO, mas cara, como não querer falar um pouquinho disso também ?

Dragon Ball vai ganhar uma nova saga, intitulada Super, a saga vai se passar logo após os acontecimentos da Saga Boo, e muito provavelmente, após os acontecimentos do último filme, O Renascimento de Freeza. Apesar das poucas informações em torno da série até aqui, já sabemos que o lançamento está muito próximo de ser feito, logo ali no mês de Julho.

Dragon Ball Super, diferente de Dragon Ball GT, tem o roteiro escrito pelo criador original da saga, Akira Toryiama. Além do anime, será lançado também o mangá, e finalmente vamos poder esquecer a existência de Dragon Ball GT.

Se você assim como eu está cheio de dúvidas, deixo aqui um vídeo maneírissimo do canal Casa do Kame, cheio de teorias do que está por vir:

Agora, cá entre nós, é duvidosa a opinião daquele que dizer que nunca, eu repito, nunca, passou nem uma manhãzinha sequer assistindo a uma dessas grandes sagas. E minha pergunta para você é, qual te deixou mais ansioso para assistir?