Modo Meu

dramaTag:

09/08/2016 - Categoria: Filmes - Autor(a): Dyego Cruz

Tallulah-Movie-Modo_Meu

Depois de ter dado uma chance a The Fundamentals of Caring. E após tanto ver a divulgação do trailer enquanto assistia as antigas temporadas de Gilmore Girls, finalmente resolvemos assistir a mais uma das produções cinematográficas do Netflix, o filme Tallulah.

Primeiramente vamos começar com a sinopse oficial, para que ninguém saia por aí reclamando que estou dando spoilers e blá blá blá…

Sinopse: Tallulah (Ellen Page), uma garota pobre e extremamente independente vivendo em um furgão. Após o namorado abandoná-la, ela vai para a cidade. Ao impulsivamente “resgatar” o bebê de uma mãe negligente, ela recorre ao único adulto responsável que conhece: Margo (Allison Janney), que é levada a acreditar ser avó da criança.

Tallulah

Logo de início já somos apresentados a Tallulah e seu namorado Nico (Evan Jonigkeit) “vivendo suas vidas adoidado” dentro de um furgão. Vida qual ela defende ter escolhido pra si e por isso não pensa em mudar. Assim começa o primeiro arco para desenvolvimento da trama, um começo bem previsível, com algumas cenas inusitadas que a princípio parecem sonhos.

Após o abandono de Nico, a garota tenta ir atrás do namorado no único lugar onde ela poderia esperar encontrá-lo, na casa da mãe dele, qual ela nunca chegou a conhecer. Com um primeiro encontro bem estranho as duas personagens, Tallulah acaba saindo do prédio de Margo e chegando ao nosso arco principal da trama, quando encontra Carolyn (Tammy Blanchard), uma mãe problemática que torna a vida da garota bem mais estranha do que ela já achava que poderia ficar.

Ao passar uma tarde vendo como Carolyn tratava a filha pequena, desde beber na frente da criança, deixar a menina perambular pelo quarto, deixando a garota correr riscos, e principalmente insistir para que Luh fosse a babá da criança, por mais que ela fosse uma completa desconhecida e não possuísse nenhuma ligação com o hotel. Tais atitudes fazem com que Tallulah haja instintivamente e acabe levando a filha de Carolyn, por ter a certeza de que a mãe não teria condições de cuidar da criança.

b65cff785ed82bd376b48aed100116ae5c6cb4f4

A trama parece um pouco confusa em vários momentos, pois ela não desenvolve muito os personagens coadjuvantes, centralizando em algumas visões de Luh e sempre colocando algumas cenas poderiam ser facilmente descartadas e deixando algumas informações de lado.

Não é uma das melhores produções do Netflix, mas no geral é um bom filme que tenta abordar a temática de pessoas que preferem viver “livres” e também de mulheres que se casam e tem filhos por puro interesse, mas que de alguma forma encontram sua redenção e acabam por dar mais valor as coisas que não dava antes. Porém o mais interessante é ver o lado da “sequestradora”, o que a personagem pensou quando fez aquilo, se ela pensou, quais as motivações, e ligação da sequestradora e da criança e como foi a investigação que envolveu o crime.


06/01/2016 - Categoria: Filmes - Autor(a): Mariana Fernandes

Miss you Already_modo meu

Uma das coisas que mais repito sobre filmes é que não há história que mais me afete do que as de amizade. Balela de príncipes encantados nunca me atraiu, mas em compensação ter amigos estilo Friends ou Goonies é um verdadeiro sonho de consumo. Sabendo disso, não espere nada mais do que uma boba emocionada fazendo essa resenha!

Já estou com saudades” ou “Miss you already” lançado aqui no Brasil dia 24 de dezembro, e infelizmente atrapalhado pelo furacão “Star Wars – O Despertar da Força” e o filme infantil “Alvin e os Esquilos na Estrada” que dominaram as salas do cinemas; conta a história de duas amigas de infância que por mais diferentes que sejam nunca se separam.

Miss You Already

Protagonizado por Drew Barrymore no papel de Jess, um americana que vai morar na Inglaterra quando criança e logo encontra a garota que será sua eterna, Milly, protagonizada por Toni Collette, e por mais diferentes que as duas sejam nada separa essas duas.

Milly sempre foi agitada e é aquela amiga que sempre está a frente, no primeiro beijo, namorado, sexo, filhos, casamento e sucesso profissional, já Jess é mais calma, leva uma vida mais leve e sempre dá tempo ao tempo. Após longos anos de amizade, Milly descobre ter câncer de mama no mesmo período em que Jess consegue engravidar e esse clima de tristeza e felicidade percorre durante toda a história.

ja estou com saudade_cena_modo meu

Não posso falar mais do que isso para não soltar spoiler, mas o que posso dizer é que o filme faz um ótima abordagem sobre o descuido com a saúde, com o sentimento de quem possuí uma doença tão cruel, o egoísmo por parte dessa pessoa ou dos outros e os sentimentos de quem está por perto dessa situação. Sei que filmes com esse tipo de doença está bem na moda, mas o diferencial é que não existe um super par romântico que ultrapassa barreiras pelo seu amor e um monte de baboseiras e sim duas amigas e os seus problemas.

toni-collette-and-drew-barrymore-are-best-friends-in-miss-you-already

Pelo que vi na internet a fora o filme não teve uma feliz aceitação como o desejado, mas quem liga, vai que você gosta, hein!?


25/08/2015 - Categoria: Séries - Autor(a): Victória Duarte

shameless (us) - capa

Quando assistimos séries americanas temos a ilusão de que os Estados Unidos e o povo americano são de certa forma mais bem educados, chiques e elegantes que nós. Seriados como Gossip girl, House of Cards e até mesmo Friends acabam, mesmo com temáticas tão diferentes, construindo nossa imagem do povo americano como pessoas limpas e “centradas”, até mesmo divertidas, em que mesmo nas dificuldades eles não passam dificuldade (saca?), por justamente ser o contrário disso tudo que Shameless (US) é uma série muito boa!

Shameless US é a versão americana do Shameless UK, que vem sendo exibida pela Showtime e já vem sendo filmada sua 6ª temporada para estreia em janeiro de 2016. Uma série de dramédia ambientada no subúrbio de Chicago, que se você assistir vai ver que equivale a nossa amada favela brasileira, ou seja, Shameless retrata a favela americana.

shameless (us) - together

No início dessa série ela conta a relação de uma família, formada do jeito menos convencional possível, no período de crise que o EUA passou em 2008, em que de início é a justificativa do pai dessa família, Frank Gallagher, nunca arranjar um emprego e viver bêbado pelos cantos da cidade fazendo idiotices. Essa família é formada por 6 filhos, Fiona, Lip, Ian, Debbie, Carl e Liam, que são obrigados a viver com o que tem, quee é pouco, e cuidarem de si próprios. A mãe deles os abandona para fugir com outra mulher e acaba deixando a responsabilidade da criação toda em cima de Fiona, que é uma jovem de 19 anos que vai se virando com bicos que faz, mas também é ajudada pelos irmãos Lip e Ian e seus vizinhos viciados em sexo Veronia e Kevin, que sempre arranjam um jeito de sair das dificuldades tanto financeiras quanto familiares da forma mais inusitada possível.

shameless (us) - family

Essa série é cheia de discussões sobre família, drogas, homossexualidade e permeadas com muitas cenas de sexo no meio disso tudo, mostrando como uma família americana se vira na pobreza. E o mais interessante dessa família é a união desses irmãos para cuidar uns dos outros, e até mesmo do pai que só procura a família para se aproveitar dela. Shameless é rodeada de toques de comédia sarcástica (e as vezes absurdas) que põe em dúvida nosso conceito do certo ou errado na hora da necessidade, e isso sempre com um “quê” de drama na medida certa.

E outra coisa que faz a série ser muito boa é o amadurecimento e escolhas que cada personagem faz durante as temporadas, que faz você rir, chorar e ficar com raiva tudo ao mesmo tempo.

Se você quer se divertir com uma boa comédia dramática realista, Shameless é uma boa pedida, e até mesmo se você quer só conhecer como é a favela americana também! Dá uma olhada na promo da primeira temporada e sente só o gostinho:


27/05/2015 - Categoria: Filmes - Autor(a): Mariana Fernandes

Procura-se Um Amigo Para o Fim do Mundo

O que você faria se soubesse que o mundo vai acabar? É essa a proposta da maioria dos filmes recentes com essa temática, porém com “Procura-se Um Amigo Para o Fim do Mundo”, é uma comédia/drama/romance que acaba pegando um caminho oposto aos demais blockbusters que nos mostram esperança e muitas vezes um final feliz.

Não estou falando de uma final apocalíptico em que a população acaba morrendo por ataques zumbis, alienígenas, desastres naturais ou outras coisas, mas que ainda existe um fio de luta e esperança  para  sobrevivência. Estou falando de um aviso melancólico das autoridades dando data e hora para o fim do mundo, sem qualquer esperança de reviravolta, apenas faça o que sentir vontade e espere o mundo acabar.

Cena Steve Carell e Keira Knightley

É nesse mundo que os personagens Dodge, protagonizado por Steve Carell, e Penny, personagem da atriz Keira Knightley, vivem de formas completamente opostas, mas acabam se encontrando no final. Dodge é um homem de meia idade que sempre viveu de forma pacata e certinha a ponto de não parar de trabalhar após o aviso de fim de mundo, enquanto seus amigos combinavam festas regadas a drogas e sexo e sua mulher o largou para viver seus últimos dias, ele continuava na sua rotina solitária. Já Penny, é uma jovem garota que já fez tudo o que deu na telha e pretende ver a família que deixou tanto de lado.

Perto da data determinada, os dois que eram vizinhos mas que pouco tiveram contato, iniciaram uma trajetória em busca de seus objetivos, Penny de reencontrar a família e Dodge de ajudar a garota. É  claro que essa trajetória iria gerar um romance, afinal estamos falando de uma comédia/drama/romance, mas não se engane com um final estilo “Nhõooo, que lindo”, pois isso não faz o tipo da história.

Cena Procura-se um amigo para o fim do mundo

Agora vamos o que achei! Bem, fui com uma expectativa grande por conta de Steve Carell e acabei me decepcionando um pouco, pois achei um tanto arrastado, mas fora isso classifico esse filme como aqueles que você pode assistir em uma tarde sem muito o que fazer, talvez uma baixa expectativa ajude a gostar ainda mais.

Fique com o trailer e se já assistiu, me diz o que achou!


28/04/2015 - Categoria: Séries - Autor(a): Elizabeth Viana

The Lizzie Borden Chronicles

Olá pessoas! Estava eu, surfando entre os canais da TV em busca de algo bom para assistir, e eis que me deparo com essa série… As Crônicas de Lizzie Borden (The Lizzie Borden Chronicles), que é uma continuação da história iniciada no filme de 2014, Lizzie Borden Took an Ax.

A série teve estréia no dia 5 de abril desse ano pra você que não sabe estamos no ano de 2015 e aborda a vida de Lizzie quatro meses depois de ela ter sido absolvida da acusação de ter assassinado o pai e a madrasta com quarenta machadadas.

A história se passa em 1892, onde Lizzie (Christina Ricci) e sua irmã mais velha Emma (Clea DuVall) tentam começar uma vida nova em meio a má reputação de Lizzie e dos problemas financeiros que herdaram do pai. Acontece que um detetive particular, Charles Seringo (Cole Hauser), foi contratado para encontrar mais provas contra Lizzie e assim poder reabrir o caso em que a mesma foi inocentada.

The Lizzie Borden Chronicles - Christina Ricci

Nesse processo de recomeço vários obstáculos vão surgindo e dificultando ainda mais a vida de Lizzie e somado a isso várias pessoas que a rodeiam vão morrendo, e assim temos um detetive em seu encalço louco para provar que ela está matando as pessoas para acabar de uma vez por todas com as pedras no caminho.

A série é produzida pela Sony Pictures Television e a produção executiva conta com nomes envolvidos em trabalhos como ‘House Of Lies’, ‘ Mad Men’, ‘Sons Of Anarchy’, ‘Teen Wolf’ e ‘American Horror Story’.

The Lizzie Borden Chronicles - Christina Ricci e Clea DuVall

Eu já tinha visto o filme, claro. E gostado, afinal se trata de uma história real e tem a presença da Christina Ricci. Eu acho que essa série tem tudo para dar certo, drama e uns suspenses assim de leve. Logo no primeiro episódio eu me lembrei dos filmes do Freddy, sim sim o Krueger, na parte das criancinhas cantando aquela canção bem fofinha. E a série vai seguindo assim, apresentação bacaninha dos personagens seguida de mortes e depois cenas dentro de um tribunal. E depois vem o fim… Bem, o final… Agrada! Só não gostei muito porque são apenas oito episódios.

Ah… E se você tem problemas com sangue não assista, ou aprenda a lidar com isso. E eu não acho necessário assistir ao filme antes porque dá pra entender bem a série assim, mas em caso de curiosidade vejam o filme também.