Modo Meu

FicçãoTag:

08/08/2017 - Categoria: Livro - Autor(a): Dyego Cruz

Como já dizia Stan Lee através do Tio Ben, “Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades“, mas já parou para pensar se todos os seres que conseguissem poderes sobre-humanos somente se importassem em impor a sua vontade e soberania para dominação de nações?

É exatamente o que Brandon Sanderson passa para nós nesta obra chamada Coração de Aço, Livro I da série Executores, publicada no brasil pela editora Aleph. Com uma narrativa tensa, as vezes eufórica, e com capítulos curtos (ótimo para você que não curte parar a leitura no meio de um capítulo), este livro prende a sua atenção e é tipo assim, MUITO difícil de parar a leitura.

A história segue sem muita enrolação e sempre direto ao ponto que precisamos chegar, até mesmo quando estamos dentro da cabeça do narrador e personagem principal, David. Um garoto que viu seu pai ser morto pelo imponente Coração de Aço, e milagrosamente conseguiu escapar da vista de seu algoz. “Eu já vi Coração de Aço sangrar. E o verei sangrar novamente” é o seu bordão principal, mas é só isso que posso revelar por enquanto hehe.

Pois bem, passando um pouco dessa breve introdução, este é um livro de ficção de uma realidade distópica, formada e dominada pelos que são chamados de Épicos, pessoas que ganharam poderes dignos de heróis e vilões após um evento misterioso chamado Calamidade, que nesse primeiro volume aparentemente não tem lá tanta importância, já que é comentado apenas como uma data e nada mais é detalhado. David dedica sua vida, literalmente, a estudar os Épicos e se juntar aos Executores, um grupo “rebelde” que luta contra a opressão destes seres com poderes misteriosos.

Existem diversos diálogos sobre as motivações de cada integrante do grupo e fica claro qual o papel de cada um e como também não podia faltar, muita coisa não é o que parece ser, e outras parecem ser bem mais do que parecem. Meio complicado de entender, mas se eu começar a explicar então a história vai perder a graça.

Algumas gírias são introduzidas nos diálogos, como “slontze“, “faíscas” e também “calamidade“, cada um deles utilizados de maneira bem colocada ao que se propoem ser, afinal prefiro que cada um interprete da maneira que melhor lhe convir, então não vou dar muito significado caso não tenha lido o livro ainda.

Mas resumindo, este é um livro que você vai terminar bem rápido e ficar com o coração a ponto de explodir durante alguns acontecimentos e partido quandoa história chegar ao fim. Espero que venha logo o próximo da série e que contine tão bom quanto esse primeiro.

Link para compra do livro ;)


26/09/2016 - Categoria: Livro - Autor(a): Dyego Cruz

a-guerra-do-velho_modomeuJá parou para pensar em um bando de senhores e senhoras de 75 anos indo pra um lugar desconhecido e ainda mais, lutar numa guerra? Pois é, de início o título do livro, a sinopse e até o plot podem bagunçar um pouco a sua cabeça e o rumo do que você pode achar que iria acontecer.

No meu aniversário de 75 anos fiz duas escolhas: visitei o túmulo da minha esposa, depois entrei para o exército.

A Guerra do Velho é um livro de ficção científica que acontece em um tempo onde a humanidade chegou na era das viagens interestelares e saem pelo universo a procura de planetas habitáveis para colonização. Narrada por John Perry, um senhor de 75 anos que viveu sua vida como escritor e perdeu seu a esposa para um derrame alguns anos antes do seu alistamento. Mas claro que as colonizações nem sempre são algo rápidas e muito menos pacíficas, então isso traz mais ação, estratégia e adrenalina na história.

A narrativa é bem dinâmica, ao ponto de que quase não notei que estava terminando (eBook não te dá a profundidade de saber quando o livro está acabando), e mostra toda a confusão que se passa na cabeça John e de seus amigos, afinal “como assim pessoas de 75 anos indo para o exército?”. E isso se torna cada vez mais misterioso até o ponto em que infelizmente não posso mais detalhar muito para não perder a graça e as surpresas que vem a seguir depois do alistamento. Jonh faz vários amigos nessa sua nova jornada, mas nenhum personagem é tão aprofundado quanto Jonh, mas vai ficando claro o motivo ao longo da trama.

Muitas raças alienígenas são citadas, mas como o foco real são os humanos e os seus problemas, apenas duas delas são inseridas de forma  a dar um rumo na história e concluir a trama. Nada que faça muita falta, pois por menos que sejam especificadas, isso já da um leque maior de possibilidades para a sua imaginação criar.

a-guerra-do-velho_contracapa_modomeuEsse tal alistamento é feito nas Forças Coloniais de Defesa (ou FCD), que é algo altamente rodeada de mistérios e nunca age na terra, tanto que a vida no planeta segue normal enquanto o universo é colonizado e defendido pelo exército das FCD.

O que posso dizer a mais é que além de todos esses idosos que estão embarcando num alistamento misterioso e que após sair da terra, são considerados como mortos, todos eles são realmente muito bem humorados, o que deixa tudo mais interessante e a leitura bem mais fluida do que vários outros livros que já li. Outra coisa é que assim como os soldados idosos ficaram altamente entusiasmados com o que acontece no tal “rejuvenescimento”, ou seja lá o que for que aconteça, com certeza você vai ficar também e ainda vai torcer para que uma das tecnologias utilizadas por eles possa realmente existir logo. Brainpal, apenas lembre desse nome.

É uma ótima história e bem estruturada com vários diálogos sobre a vida, conquista, guerra, diplomacia, patentes, tecnologia, humor e tudo mais que se pode esperar de uma ficção. John Scalzi realmente fez um trabalho espetacular ao criar e escrever essa fantástica história sobre um futuro dos humanos universo afora.

Compre aqui o livro Guerra do Velho – Submarino