Modo Meu

horrorTag:

29/01/2013 - Categoria: Animes - Autor(a): Caio Túlio Costa

Monster no Modo Meu

Considerado um dos quadrinhos japoneses seinen (adultos) de horror mais famosos, ´Monster´ é um thriller policial repleto de tensão psicológica que consegue tirar o sossego dos que o conhecem.

Criado em 1994 por Naoki Urasawa (mesmo mangaká de ´20th Century Boys´), este mangá totaliza 162 capítulos, compilados em 18 volumes e publicados sob o selo “Big Comic Original”, da editora Shogakukan, a responsável por InuYasha. ´Monster´ foi sucesso de vendas até 2001, ano em que foi encerrado.

O drama e suspense da série ainda levaram os quadrinhos a uma adaptação animada produzida pelo Estúdio Madhouse, de “Death Note”.

Seus 74 episódios foram exibidos em 2004 e 2005. A série ficou sob a direção de Masayuki Kojima, de ´Sakura Wars´, os roteiros na mão de Tatsuhiko Urahata, de ´D. Grey-man´ e a caracterização por Kitaro Kosaka, de ´Akira´.

Seu enredo obscuro, amedrontador e complexo gira em torno do jovem e talentoso neurocirurgião japonês Kenzou Tenma, que trabalha em um grande hospital de Düsseldorf, Alemanha. O médico tem tudo para garantir seu futuro promissor: É respeitado pelos colegas e pelos pacientes, está de casamento marcado e é o favorito do diretor do hospital.

No momento em que um casal de pequenos irmãos em estado grave precisa de uma operação, o senso de justiça de Tenma fala mais alto e o seu pensamento de que todas as vidas humanas possuem direitos iguais é posto à prova. O doutor abre mão de tratar um paciente de relevância pública (~e política~) para atender as crianças que chegaram primeiro na sala de cirurgia. Desobedecendo a política do hospital, Tenma tem sua carreira arruinada, destruindo tudo o que havia edificado ao longo da vida.

A partir disso, fatos misteriosos seguidos e estranhas mortes começam a acontecer no ambiente hospitalar e social do neurocirurgião. Todos possuem algo em comum: restaurar a ascensão de Tenma.

Monster no ModoMeu2

Investigação

Tornando-se o principal suspeito de crimes que não cometeu, o doutor passa a investigar os casos por conta própria e descobre a ligação destes com as crianças, sangrentos massacres, a Segunda Guerra Mundial e um passado negro e perigoso repleto de metáforas bíblicas e teorias conspiratórias.

É com esse enredo bem estruturado e assustador que ´Monster´ garante seu espaço na galeria de horror nipônica. O tema que coloca em evidência os valores éticos e morais do ser humano é muito bem explorado, mostrando a verdade sobre o comportamento cruel que um indivíduo pode vir a ter. Nossos conflitos internos e anseios mais íntimos também são muito bem abordados.

A trilha sonora mescla elementos de jazz, blues e soft rock, que se encaixam com maestria nas cenas da animação. Seus cenários abusam de contextos históricos, científicos e geográficos, que mostram sua seriedade, maturidade e beleza.

A queda do Muro de Berlim, outros lugares e também acontecimentos têm seu espaço, dando à série um ar de autenticidade.

´Monster´ é sucesso de crítica no mundo, e foi, inclusive, publicado no Brasil pelas Editoras Conrad e Panini.

Em 2002, uma adaptação literária chamada ´Another Monster´ foi escrita pelo próprio Urasawa e mostra os acontecimentos da série em uma releitura a partir do ponto de vista de um repórter investigativo.


26/12/2012 - Categoria: Mangá - Autor(a): Caio Túlio Costa

Jigoku Shoujo no Modo MeuA vingança é uma atitude presente em todas as camadas de nossa sociedade. O comportamento da humanidade caminha lado a lado com esse sentimento até os dias de hoje. A filosofia do “olho por olho” é uma prova disso, inclusive, vários pensadores ainda creem que a vingança é necessária para manter um estado social justo. É abordando essa temática que a franquia de horror ‘Jigoku Shoujo’ conseguiu se firmar e conquistar muitos fãs no mundo todo.

Criada por uma parceria entre a produtora Aniplex (Fullmetal Alchemist) e o Studio Deen (Nurarihyon no Mago), Jigoku Shoujo é uma série de animação de 26 episódios que fora exibida entre 2005 e 2006.  Dirigida por Takahiro Omori (Baccano!) e escrita por Hiroshi Watanabe (Video Girl Ai), a história da ‘Donzela do Inferno’ é sucesso de crítica e referência no horror moderno japonês. Diferente da maioria das franquias, Jigoku Shoujo teve sua série em mangá adaptada a partir da animação. Seus quadrinhos foram escritos e desenhados por Miyuki Eto e publicados pela aclamada Editora Kodansha (Great Teacher Onizuka). A série conta com nove volumes criados entre 2005 e 2008.

O enredo de Jigoku Shoujo se destaca entre as franquias de horror por conta de elementos da modernidade. Ai Enma é uma garota com aparência de colegial responsável pelo site Jigoku Tsuushin (algo como correspondência do inferno). O portal age como mediador entre Enma, a Donzela do Inferno, e pessoas que anseiam por vingança. A partir da meia-noite até às seis da manhã de cada dia, o site torna-se acessível, permitindo que qualquer um que o conheça possa dar o nome de alguém de quem deseja se vingar. A partir da identificação nominal, o indivíduo é enviado para o sofrimento eterno no inferno. Concretizando os pedidos, Enma procura saber se os motivos são justos e firma um contrato com os oprimidos. Mas há um preço caro para cada ação. Se uma vaga no inferno é preenchida pelo acordo, outra precisa ser ocupada por quem se vingou. É exatamente essa linha tênue entre o terror psicológico das escolhas e as ações que alimentam o sentimento de vingança que dão o ar macabro de Jigoku Shoujo.

Jigoku Shoujo - Arte

Cada episódio ou capítulo nos apresenta um caso com diferentes conflitos de interesses, vinganças, maldades e contratos infernais. As histórias são independentes, mas também nos mostram um pouco da origem obscura de Ai Enma. Com muito mistério, horror psicológico e terror sobrenatural, o clima de Jigoku Shoujo é potencializado por sua trilha sonora de sucesso, que através da música faz jus a toda a sua temática. As cores, fotografia e toda a arte em geral da franquia é fantástica e hipnotizante.

O sucesso da franquia foi tão grande que após o fim da animação em 2006, uma segunda temporada chamada Jigoku Shoujo Futakomori foi exibida ainda no mesmo ano. Também com 26 episódios, a série foi escrita por Ken’ichi Kanemaki (11eyes) e conseguiu o mesmo destaque da primeira.  Com isso, dois novos quadrinhos foram escritos por Miyuki Eto, são eles New Hell Girl e Hell Girl R (que ainda está em publicação).

Ao conquistar todo o solo japonês, a franquia de Jigoku Shoujo foi ainda adaptada para um drama live action, ou seja, uma série com atores reais que retrata todo mistério e o horror infernal presente na história. Com seus 12 episódios, o seriado foi exibido também entre 2006 e 2007. Dirigida por Makoto Naganuma (Koinu no Warutsu), o drama alcançou um público maior, que também pode conferir uma terceira temporada da animação, a Jigoku Shoujo Mistuganae, que com maestria causou tensão em muitos que acompanharam os seus 26 episódios entre 2008 e 2009.

Jigoku Shoujo - Live Action

Não apenas espalhando o horror nos quadrinhos e televisão, Jigoku Shoujo foi adaptado para dois jogos de videogames que foram sucesso de vendas. Akekazura para Nintendo DS (2007) e Mioyosuga para PlayStation 2 (2009).

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail;  Sério mesmo cara, manda aí!

Você pode, o blog é nosso.


21/11/2012 - Categoria: Mangá - Autor(a): Caio Túlio Costa

Sem delongas, Uzumaki é uma aclamada série surgida inicialmente em mangá, que explora a verdadeira essência do horror psicológico. A trama é considerada um marco do terror japonês contemporâneo, fez muito sucesso, servindo inclusive, de base para novas histórias e de inspiração para novos autores. Por isso a obra é muito respeitada e cultuada no mundo inteiro.

Os quadrinhos desta série foram criados por um dos mestres do horror nipônico, o perturbador Junji Ito, conhecido por seus trabalhos, narrativas aterrorizantes e por ser discípulo do também renomado e premiado autor Kazuo Umezu, responsável pela história de ‘Baptism of Blood’ que ganhou, até mesmo, versão cinematográfica.

Junji Ito lançou o mangá ‘Uzumaki’ em 1998. Pouco tempo depois, sua publicação se tornou um sucesso dentre os mangás adultos. Vendido pelo selo ‘Big Comic Spirits’ da Editora Shogakukan, a mesma de ‘Detective Conan’, os quadrinhos de ‘Uzumaki’ foram divididos em apenas três volumes que compilam um total de 20 capítulos.

O mangá também teve sua publicação em terras canarinhas. No ano de 2006, a Conrad Editora trouxe o trabalho para cá em três edições totalmente traduzidas. Os fãs do terror contemporâneo puderam conferir 700 páginas de puro horror psicológico e se deliciar com a perturbadora imaginação e a mente de Junji Ito.

HISTÓRIA

O enredo promissor da trama se desenvolve na tradicional, pacata e fictícia cidade de Kurozu-cho, no Japão. Tudo começa quando alguns moradores do local começam a apresentar uma estranha obsessão por formatos em espiral, seja um vaso, corrente de água ou um caramujo, qualquer forma que lembre a curva plana que gira em torno de um polo torna-se motivo de fascínio. Amaldiçoados por uma série de eventos, as pessoas se tornam paranoicas, e a história se desenrola em um horror psicológico que se utiliza de vários joguinhos mentais e sádicos.

Kirie é a protagonista da história que mistura horror psicológico e paranoia.

Assim, algumas mortes horríveis e grotescas estão presentes e os frutos de acontecimentos apocalípticos dão um ar polêmico à série. As transformações de personagens são um dos pontos fortes do mangá e a insanidade e seus devaneios são os principais tópicos abordados na obra. Neste trabalho, Junji Ito confirma sua fama, pois consegue descrever com maestria a instauração do terror em ambientes calmos e, aparentemente, livres do mal.

CINEMA

Em 2000, ´Uzumaki´ ganhou uma adaptação cinematográfica dirigida pelo diretor japonês Higuchinsky de ´Nagai Yume´ (Long Dream). A protagonista, Kirie, é interpretada pela atriz Eriko Hatsune e o longa-metragem foi filmado abusando de pesados tons de verde, imitando as placas de cores usadas nos quadrinhos originais.

Uma das curiosidades é que seu principal trailer é uma homenagem direta ao clássico trailer de ´À bout de souffle´, do badalado cineasta francês Jean-Luc Godard. A versão cinematográfica possui um final diferente dos quadrinhos, o que enfureceu boa parte dos fãs, mas apesar de tudo disso, o trabalho ainda conseguiu agradar.

´Uzumaki´ é uma ótima pedida para quem gosta de mistério, suspense e um terror tipo desafiante.

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail;  Sério mesmo cara, manda aí! Você pode haha, o blog é nosso.


23/08/2012 - Categoria: Animes - Autor(a): Caio Túlio Costa

Um jogo violento, competitivo e sanguinário. Essas são apenas algumas das características que podem definir o vasto universo de Gantz, uma série de anime e mangá intrigante e cativante. Criado por Hiroya Oku, os quadrinhos são publicados desde 2000 e até então continuam sendo sucesso no oriente e ocidente com seus mais de 365 capítulos compilados em 34 volumes (atualmente).

Sua premissa é desafiadora e simples. Gantz é uma bola preta misteriosa que reside em uma sala e escolhe vítimas no momento de sua morte, concedendo-lhes uma nova chance de retornar. Ao voltar à vida, os escolhidos terão que se submeter a caçadas. Missões de captura, assassinato e sobrevivência com seres estranhos que estão além da compreensão humana. Beirando o estilo nonsense, os participantes contam com um grande arsenal bélico a disposição e tem que acumular pontos de acordo com o objetivo das provas. Essa pontuação pode ser trocada por novos armamentos, reviver um aliado morto ou comprar a própria liberdade. Após a missão, os sobreviventes podem retornar para suas vidas normais e então só serão chamados por Gantz na próxima prova.

Gantz no Modo Meu2

Os desafios criam um clima de tensão por conta do inesperado. Um limite de tempo em que a missão deve ser realizada antes de todos morrerem é estabelecido, forçando a mobilidade de todos. Os participantes sempre são teleportados para o lugar da missão, que conta com um perímetro delimitado por Gantz e que se for ultrapassado causa morte imediata. O terror e suspense misturado com uma dose de erotismo e conflitos psicológicos dá a Gantz uma fórmula no mínimo interessante de se acompanhar.

O protagonista da série é Kei Kurono, um estudante que morre atropelado por um metrô ao tentar ajudar um mendigo alcoolizado que caiu nos trilhos. Alguns segundos após a morte, Kei é levado à sala de Gantz e então é apresentado à mecânica das missões. Desde então passamos a acompanhar o seu cotidiano.

Gantz no Modo Meu3

Em 2004, Gantz ganhou sua adaptação animada pelo estúdio GONZO (Vandread). Baseada nos primeiros capítulos do mangá, a série conta com 26 episódios divididos em duas temporadas e teve grande audiência na emissora Fuji Television. No Brasil, o mangá é publicado pela Panini Mangás e o anime foi exibido no canal pago Animax, onde a censura fez sua parte e cortou muitas cenas.

Para um pouco da adaptação, confira a chamada com uma breve apresentação de Gantz no Animax (+18):

Já em 2010 e 2011, Gantz deu as caras nas telonas japonesas. Seus longas em Live Action foram dirigidos por Shinsuke Sato (Desert Punk) e fizeram grande sucesso no oriente.

Confiram o trailer do longa metragem:

Atualmente, o lançamento de novos capítulos do mangá ocorre de forma irregular. Mesmo assim, isso não causa nenhum desapontamento nos fãs, pelo contrário. Os mesmos respeitam e aceitam que sua autora demore o tempo necessário para desenrolar e dar continuidade à trama. Essa relação é muito rara no ramo dos mangás e só comprova como Gantz é inovador e original.

Gantz no Modo Meu4

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.