Modo Meu

Margot RobbieTag:

04/08/2016 - Categoria: Filmes - Autor(a): Mariana Fernandes

Esquadão Suicida - Modo Meu

Nesta quarta, dia 03 de agosto, eu e Dyego fomos a aguardada e polêmica estréia de um dos filmes mais esperados de 2016. O majestoso Esquadrão Suicida, que começou a semana com excesso de críticas negativas/regulares nunca vistas antes na historia dos filmes de hq (mentira, lembrei do Lanterna Verde). Após filme assistido, logo eu que não sou muito fã da DC, eu recebi a missão de dizer o que achei, então vamos lá!

Primeiramente tenho que ressaltar o quanto uma crítica negativa hoje em dia afeta o filme, pois enquanto antes críticas eram apena coisa de chato que pagava de entendedor, hoje ela faz com que aqueles fãs de carteirinha cogitem não ver o filme e ainda xingar sem ao menos ter visto. Absurdo? Sim ou com certeza?

Mas vamos ao que interessa, o filme. Depois de um ano de fotos vazadas, trailers pra que te quero, entrevistas, análises e tudo mais, enfrentei dois dias de críticas pesadas e fui para sala do cinema sem nenhuma expectativa, tanto por conta das opiniões negativas, quando por eu querer analisar mais para poder apresentar o máximo de pontos aqui.

suicide squad

De ante mão vou logo falando que o filme não é ruim, porém tem falhas, e qual não tem!!?? Vamos ser sinceros, um filme de super-herói é tipo essas roupinhas de – como dizem a blogueiras de moda – fast fashion (C&A, Zara, Riachuelo), bonita, legal, agrada, mas não vai durar muito. Mas como assim? Oras, o Esquadrão Suicida foi feito simplesmente para vender, distrair e entreter, não espere um Oscar dele!

Achei o filme bem divertido pra falar a verdade. Visual bacana, bons atores, personagens legais e tiradas hilárias (pelo menos no caso do dublado, já que não consigo ver 3D legendado), tem mais o que esperar?

Claro que sempre tem o lado negativo, então vamos a ele. Juguei um roteiro muito rápido, se assim posso dizer. Sabe aquela sensação de não ter conseguido respirar de tanta informação? Era personagem para apresentar, que por sinal houve um foco maior em somente dois, história para contextualizar, luta para mostrar que meu Deus é muita coisa pra colocar em um filme só. Sei que os personagens não são conhecidos ao ponto de usar a estrategia Marvel de apresentar em filmes individuais, mas não dá pra negar que ficou muita coisa para 2h 10min.

SUICIDE SQUAD

O que eu mais gostei/amei/isso me fez gostar? Bem, achei a estética de apresentação dos personagens bem divertida e condizente, e dessa vez, dessa única vez o 3D valeu a pena, das atuações em especial da Margot Robbie (Arlequina) que ficou muito no estilo da personagem dos desenhos, e a trilha sonora ma-ra-vi-lho-sa e me fez vibrar cada vez que uma música tocava!

Para concluir, acho que deu a entender que Esquadrão Suicida não é o melhor filme de quadrinhos já feito, mas que diverte, disso não tenha dúvidas.

Bom filme!


24/03/2015 - Categoria: Séries - Autor(a): Mariana Fernandes

PanAm_Modo Meu

Sabe quando uma pessoa tem dedo podre para encontrar séries que já foram canceladas? Se alguém é assim, já vou avisando que entrei para o clube com força total, e se você não acredita, dá uma olhada nas minha últimas resenhas e diz que eu não tenho talento pra isso. A cancelada da vez, que mesmo assim vale a pena assistir, é a série Pan Am, uma produção da Sony que tentou acompanhar o hype de Mad Men, mas infelizmente não teve sorte.

Pan Am é uma série baseada em acontecimentos históricos da década de 60 e em uma das empresas aéreas mais famosas do período, que dá nome a obra. Se você procurar no Google imagens de aeromoças desse período, provavelmente encontrará uma garota Pan Am, devido a forte referência que essas mulheres torceram a essa profissão. A empresa que começou em 1927, se baseou em estudos que afirmavam que funcionárias semelhantes a enfermeiras trariam maior tranquilidade ao passageiros, que naquele período, tinham muito medo de viajar de avião. Assim, só em 1944 a profissão de aeromoça foi criada, com a finalidade de servir e trazer maior conforto aos clientes e com outras diversas exigências as mulheres que seriam a nova cara da empresa.

Pan Am_aeromoças_Modo Meu Pan Am_cena

A garotas Pan Am ganharam uma maior independência devido a profissão cobiçadíssima pelas mulheres, afinal quem não sonhava de conhecer o mundo, sem falar na posição de independência que essas mulheres apresentavam. Mas para se encaixar nesses sonho, haviam regras e padrões que iam desde fardamento a peso, idade, corte de cabelo e principalmente estado civil, qual a série faz questão de apresentar logo no primeiro episódio quando uma das personagens diz: Garotas Pan Am podem exercer sua profissão até o casamento ou até completarem 32 anos, após isso precisam deixar os seus cargos.

O elenco principal é constituído pela equipe do vôo inaugural do Clipper 707, as aeromoças: Maggie (Christina Ricci), opiniosa e ambiciosa que não tem medo de quebrar as regas, Colette (Karine Vanasse), uma vítima da segunda guerra que se apresenta confidente e sonha encontrar um amor, Laura (Margot Robbie), a novata ingênua que fugiu do casamento em busca da independência, e Kate (Kelli Garner), irmã mais velha de Laura, que desde cedo seguiu seus sonhos de conhecer o mundo e ajudar o seu país; e os pilotos: Dean (Mike Vogel) e Ted (Michael Mosley). Uma equipe bem unida quando se trata de homens e mulheres, pois todos parecem se defenderem e se respeitarem, o que é bem incomum quando pensamos no sexismo dos anos 60.

Pilotos_Pan Am panam-abc

A série ainda apresentam situações do período, como a Guerra Fria, espiões americanos, as eleições de Kennedy, a revista Life, qual Laura acaba aparecendo na capa e se tornando uma pequena celebridade logo em seu primeiro dia de trabalho, entre outras situações, sempre apresentadas envolvendo uma das personagens femininas.

Devido a estética da série e o período de lançamento, ela é super comparada com Mad Men que é um sucesso, porém, não sei se foi a minha obrigação profissional de assistir que me deixou meio incomodada ou se foi outra coisa, mas até hoje eu me arrasto por ela e não consigo ter tanto interesse; e The Playboy Club que também aborda um lado feminino, mas com suas diferenças, o que confesso que me despertou um certo interesse.

pan-am

Infelizmente a série foi cancelada após o término na primeira temporada, por alegações de queda de audiência, contudo, porém, entretanto, ainda recomendo Pan Am (é bom né, pois se não fosse pra recomendar esse post não faria sentido), pois me encantou bastante ver o lado feminino dessa época sem ser aquelas donas de casa padrão e os preconceito em cima de mulheres diferentes desse estilo, como eu vi em Mad Men. Bem, fique com o trailer e divirta-se! Ahhhhh, quase ia me esquecendo, tem no Netflix.