Modo Meu

Master of NoneTag:

19/09/2016 - Categoria: Séries - Autor(a): Mariana Fernandes

ganhadores-emmy-2016

Depois de mais uma cobertura ao Emmy – que se você não conhece, nos dedicamos a cobrir e divulgar em tempo real os ganhadores de cada classificação de grandes premiações como o Emmy, Oscar e Globo de Ouro -, paramos para conferir os nossos erros e acertos no “Modo Meu Premiações”, a nossa ferramenta de “aposta” dos indicados.

Confesso que não fui muito pela técnica ou probabilidade nas minhas escolhas, deve ser por isso que eu acertei 8 de 21 opções que votei. Mas fui muito por gosto, pela eliminação de ganhadores dos anos anteriores e pelas séries que assisti, que infelizmente não foram todas. As grandes surpresas da noite foram o prêmio de melhor atriz de série dramática para Tatiana Maslany, de Orphan Black, a valorização de uma série atual como Mr. Robot e a discussão sobre as minorias como em Masters of None.

Fique com os ganhadores do Emmy 2016:

Melhor série dramática

The Americans
Better Call Saul
Downton Abbey
Game of Thrones (aposta do Dyego)
Homeland
House of Cards
Mr. Robot (aposta da Mary)

Melhor série cômica

Black-ish
Master of None (aposta da Mary)
Modern Family
Silicon Valley
Transparent
Unbreakable Kimmy Schmidt
Veep (aposta do Dyego)

Melhor atriz em série dramática

Claire Danes – Homeland
Viola Davis – How To Get Away With Murder (aposta do Dyego)
Taraji P. Henson – Empire
Tatiana Maslany – Orphan Black (aposta da Mary)
Keri Russell – The Americans
Robin Wright – House of Cards

Melhor ator em série dramática

Kyle Chandler – Bloodline
Rami Malek – Mr. Robot (aposta da Mary e do Dyego)
Bob Odenkirk – Better Call Saul
Matthew Rhys – The Americans
Liev Schreiber – Ray Donovan
Kevin Spacey – House of Cards

Melhor ator coadjuvante em série dramática

Jonathan Banks – Better Call Saul
Ben Mendelsohn – Bloodline
Peter Dinklage -Game of Thrones
Kit Harington – Game of Thrones (aposta da Mary e do Dyego)
Michael Kelly – House of Cards
Jon Voight – Ray Donovan

Melhor direção em série dramática

Michael Engler por Episódio 9 – Downton Abbey
Miguel Sapochnik por “Battle Of The Bastards” – Game of Thrones (aposta do Dyego)
Jack Bender por “The Door” – Game of Thrones (aposta da Mary)
Lesli Linka Glatter por “The Tradition Of Hospitality” – Homeland
Steven Soderbergh por “This is All We Are” – The Knick
David Hollander por “Exsuscito” – Ray Donovan

Melhor atriz coadjuvante em série dramática

Maura Tierney – The Affair
Maggie Smith – Downton Abbey (aposta da Mary)
Lena Headey – Game of Thrones (aposta do Dyego)
Emilia Clarke – Game of Thrones
Maisie Williams – Game of Thrones
Constance Zimmer – UnREAL

Melhor roteiro em série dramática

Joel Fields e Joe Weisberg por “Persona Non Grata” – The Americans
Julian Fellowes por Episódio 8 – Downton Abbey
David Beniof e D.B. Weiss por “Battle Of The Bastards” – Game of Thrones (aposta do Dyego)
Robert King e Michelle King por “End” – The Good Wife
Sam Esmail por “eps1.0_hellofriend.mov (Pilot)” – Mr. Robot (aposta da Mary)
Marti Noxon e Sarah Gertrude Shapiro por “Return” – UnREAL

Melhor atriz convidada em série dramática

Margo Martindale – The Americans
Carrie Preston – The Good Wife
Laurie Metcalf – Horace And Pete
Ellen Burstyn – House of Cards
Molly Parker – House of Cards
Allison Janney – Masters of Sex

Melhor ator convidado em série dramática

Max von Sydow – Game of Thrones
Michael J. Fox – The Good Wife
Reg E. Cathey – House of Cards
Mahershala Ali – House of Cards
Paul Sparks – House of Cards
Hank Azaria – Ray Donovan

Melhor programa de esquete e variedades

Documentary Now!
Drunk History
Inside Amy Schumer
Key & Peele
Portlandia
Saturday Night Live

Melhor talk show e variedades

Comedians In Cars Getting Coffee
Jimmy Kimmel Live
Last Week Tonight With John Oliver
The Late Late Show With James Corden (aposta da Mary)
Real Time With Bill Maher
The Tonight Show Starring Jimmy Fallon

Melhor minissérie

Fargo
The Night Manager
The People v. O.J. Simpson: American Crime Story (aposta da Mary)
Roots
American Crime

Melhor filme feito para TV

All The Way
Confirmation
Luther
Sherlock: The Abominable Bride (aposta da Mary)
A Very Murray Christmas

Melhor ator em minissérie ou filme feito para TV

Bryan Cranston – All The Way
Benedict Cumberbatch – Sherlock: The Abominable Bride
Idris Elba – Luther
Cuba Gooding Jr. – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story (aposta da Mary)
Tom Hiddleston – The Night Manager
Courtney B. Vance – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Melhor atriz em minissérie ou filme feito para TV

Sarah Paulson – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story (aposta da Mary)
Kerry Washington – Confirmation
Kirsten Dunst – Fargo
Felicity Huffman – American Crime
Audra McDonald – Lady Day at Emerson’s Bar & Grill
Lili Taylor – American Crime

Melhor ator coadjuvante em minissérie ou filme feito para TV

Jesse Plemons – Fargo
Bokeem Woodbine – Fargo
Hugh Laurie – The Night Manager (aposta da Mary)
Sterling K. Brown – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story
David Schwimmer – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story
John Travolta – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Melhor direção em minissérie ou filme feito para a TV

Jay Roach por All The Way
Noah Hawley por “Before The Law” – Fargo
Susanne Bier por The Night Manager
Ryan Murphy por “From The Ashes Of Tragedy” – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story
Anthony Hemingway por “Manna From Heaven” – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story
John Singleton por “The Race Card” – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Melhor atriz coadjuvante em minissérie ou filme feito para TV

Melissa Leo – All The Way
Regina King – American Crime
Sarah Paulson – American Horror Story: Hotel
Kathy Bates – American Horror Story: Hotel
Jean Smart – Fargo
Olivia Colman – The Night Manager

Melhor roteiro em minissérie ou filme feito para a TV

Bob DeLaurentis por “Loplop” – Fargo
Noah Hawley por “Palindrome” – Fargo
David Farr por The Night Manager
Scott Alexander e Larry Karaszewski por “From The Ashes Of Tragedy” – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story
D.V. DeVincentis por “Marcia, Marcia, Marcia” – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story
Joe Robert Cole por “The Race Card” – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Melhor reality show ou programa de competição

The Amazing Race
American Ninja Warrior
Dancing With The Stars
Project Runway
Top Chef
The Voice (aposta da Mary)

Melhor ator em série cômica

Anthony Anderson – Black-ish
Aziz Ansari – Master of None (aposta da Mary e do Dyego)
Will Forte – The Last Man on Earth
William H. Macy – Shameless
Thomas Middleditch – Silicon Valley
Jeffrey Tambor – Transparent

Melhor atriz em série cômica

Julia Louis-Dreyfus – Veep (aposta do Dyego)
Amy Schumer – Inside Amy Schumer
Lily Tomlin – Grace And Frankie (aposta da Mary)
Ellie Kemper – Unbreakable Kimmy Schmidt
Tracee Ellis Ross – black-ish
Laurie Metcalf – Getting On

Melhor direção série cômica

Aziz Ansari por “Parents” – Master of None (aposta da Mary)
Alec Berg por “Daily Active Users” – Silicon Valley
Mike Judge por “Founder Friendly” – Silicon Valley
Jill Soloway por “Man On The Land” – Transparent
Dave Mandel por “Kissing Your Sister” – Veep
Chris Addison por “Morning After” – Veep
Dale Stern por “Mother” – Veep

Melhor atriz coadjuvante em série cômica

Niecy Nash – Getting On
Allison Janney – Mom (aposta do Dyego)
Kate McKinnon – Saturday Night Live
Judith Light – Transparent
Gaby Hoffmann – Transparent
Anna Chlumsky – Veep (aposta da Mary)

Melhor roteiro em série cômica

Rob Delaney e Sharon Horgan por Episódio 1 – Catastrophe
Aziz Ansari e Alan Yang por “Parents” – Master of None (aposta da Mary)
Dan O’Keef por “Founder Friendly” – Silicon Valley
Alec Berg por “The Uptick” – Silicon Valley
David Mandel por “Morning After” – Veep
Alex Gregory e Peter Huyck por “Mother” – Veep

Melhor ator coadjuvante em série cômica

Louie Anderson – Baskets
Andre Braugher – Brooklyn Nine-Nine
Keegan-Michael Key – Key & Peele
Ty Burrell – Modern Family
Tituss Burgess – Unbreakable Kimmy Schmidt (aposta da Mary)
Tony Hale – Veep
Matt Walsh – Veep


21/03/2016 - Categoria: Séries - Autor(a): Mariana Fernandes

Master of None x Love

Por anos assistimos na tv, séries que abordam a juventude, seja elas dos anos 80, 90 ou início dos anos 2000. Aprendemos com Friends, How I Met You MotherThe Big Bang Theory, The O.C., Gossip Girls, New Girl, entre outras, como é ser jovem. Que na maioria dessas que eu citei é ter amigos leais qual você sai para berber e discutir sobre os dramas da vida.

Agora chegou a nossa vez de ter a juventude retratada em séries e ter a nossa geração gravada para ensinar crianças e pré-adolescentes como ser jovem! Para falar disso comecei a assistir duas séries recentes do Netflix, que tem como objetivo retratar o jovem atual. Aquela geração que reclama de tudo, que interage mais com as pessoas via smartphone do que pessoalmente e que está demorando para amadurecer e se enxergar como os adultos que nosso pais eram na nossa idade. Elas são: “Master of None” e “Love” que possuem a mesma faixa de idade, porém uma delas não acredito ser tão boa quanto todos estão falando por aí, mas vamos a elas.

Master-of-None

Master of None – retrata a vida de Dev (Aziz Ansari), um ator de 30 anos que vive em Nova York e tem várias ambições profissionais, porém tem diversos medos frequentes da nossa juventude, como: constituir família, desde encontrar alguém “para a vida toda” e ter filhos, e ser parecido com os seus pais quando tinham essa idade. Os dramas da série realmente me trouxe uma identificação como o quanto o personagem principal não se considera um adulto se comparado com os seus pais nessa idade, o quanto ele quer uma aprovação por parte dos mesmos em ralação a sua profissão e o quanto cheio de dúvidas ele é.

love_série

Love – com o objetivo de retratar o amor e sua realidade, a série apresenta os personagens Gus (Paul Rust), um típico cara nerd bonzinho que se deixa influenciar por garotas bonitas, e Mickey (Gillian Jacobs), aquela garota descolada, indie, cool, que consegue tudo o que quer, por ser bonita, porra louca e ardilosa. Conheci a série pelo boca a boca de tanta gente dizendo ser maravilhosa, mas para ser sincera eu que não gosto de largar uma temporada completinha pedindo para ser vista, não consegui aguentar tanto draminha hipster, porra louquisse, mimimi e uma história bem previsível. Sei que minha geração é chata, mas sabe quando você não se sente representando nem no figurante em uma coisa que é pra falar de “você”. Pois é, a falta de ambição, o não tô nem aí para nada, o cara bobo que fica correndo atrás de uma garota bonita, na minha opinião é previsível demais e não mostra a realidade que tantos dizem mostrar.

Vendo essas duas séries parece que vejo mundos opostos e não por ser culturas ou estilos diferentes e sim por um querer mostrar a realidade e outro fingir se importar em mostrar isso, dando a impressão de que os roteiristas tem apenas uma visão superficial do que é a nossa geração, o que me espanta pois um dos criadores é o ator principal, Paul Rust, que faz do seu próprio personagem um nerd caricato “maria vai com as outras”.  Peço até desculpas pelo sincerão sobre a série “Love“, mas sabe quando você não entende o que todo mundo está vendo em um coisa e não tem como desabafar com ninguém?! Pois é, desabafei!

Se você é um dos meus que também não viu muita coisa nessa série Love (segura na minha mão e me diz que você existe aqui nos comentários), mas está com aquele desejo desse estilo de série, “Master of None” está sendo tudo que os outros falam sobre a outra série e um pouco mais.