Modo Meu

Meryl StreepTag:

02/02/2016 - Categoria: Filmes - Autor(a): Victória Duarte

as sufragistas 01

Desde a separação de Sandy e Júnior, para mim, não surgia um assunto tão importante quanto este que está tão na moda que é o Feminismo. Infelizmente ainda ouço de pessoas próximas a mim, e que até tenho um grande amor e admiração, frases do tipo: “Feminismo é coisa de sapatão que não se depila! ”, “Isso é coisa de mulher que não tem o que fazer! ”. Sim meus caros leitores, mesmo com esse assunto tão discutido, ainda existem pessoas que afirmam que o feminismo não significa, e nunca significou nada. Que não fazem a menor ideia do significado até mesmo da palavra. Pois bem, antes de qualquer coisa vamos dar uma definição sobre o que é feminismo. Segundo o dicionário Michaelis:

fe.mi.nis.mo
sm (lat femina+ismo) 1 Sociol Movimento iniciado na Europa com o intuito de conquistar a equiparação dos direitos políticos e sociais de ambos os sexos.

A partir dessa pequena definição podemos falar da importância desse movimento através do filme As Sufragistas (2015). Esse filme relata uma das histórias, dentre as tantas, de um grupo de mulheres que lutavam pelo direito de voto na Europa do início do século XX. Nesse contexto apresenta-se Maud Watts, uma personagem que consigo identificar entre várias amigas, pois ela era uma mulher totalmente alheia ao movimento, mas dentro de si, mesmo de modo bem singelo, se perguntava o porquê dessa desigualdade entre homens e mulheres, e se indignava aos abusos que lhe ocorrera durante a vida por homens maus. Algo que vejo em muitas mulheres a minha volta, que mesmo que digam que não são “adeptas ao feminismo”, dentro delas existe essa indignação pela desigualdade de gêneros, ou pela falta de respeito, que por muitas vezes são tratadas.

as sufragistas 02-persons

Confesso que a primeira vez que assisti esse filme, fiquei meio decepcionada, eu queria emoção, queria drama, queria esse tipo de coisa totalmente desnecessária para um filme que relata muito bem a luta de um grupo de pessoas por seus direitos. O mais interessante é que ele faz com que você se indigne com aquela situação de abuso, mas sem te fazer “sentir coisas”, e sim te fazer pensar, usar sua racionalidade para refletir sobre tal assunto, e conseguir entender o porquê daquela desobediência civil retratada pelo filme, contra o estado.

As interpretações de Carey Mulligan, no papel de Maud Watts, e de Helena Bonham Carter, como Edith Ellyn, são impecáveis. Principalmente de Mulligan, que nos faz entender o motivo de cada dor que a sua personagem passa. Devo dizer também que as cenas em que há uma interação entre Mulligan e Brendan Gleeson, que faz o papel do inspetor do estado que luta contra o movimento, são muito boas, pois conseguem expor as posições opostas que cada um se encontra diante do movimento sufragista.

Suffragette

Esse é um filme que exemplifica muito bem a importância do feminismo para a sociedade, que mostra o significado dessa luta, que não acabou quando foi dado o direito de voto às mulheres, mas vem sendo constantemente discutido em favor da igualdade social, política e econômica entre os sexos.

E como diz a frase em que o enredo todo do filme se baseia, não vamos nos render, não vamos desistir da luta, pois como disse o pastor, e líder do movimento pacífico de igualdade entre as raças no EUA, Martin Luther King:
“ É NOSSO DEVER MORAL, E OBRIGAÇÃO, DESOBEDECER LEIS INJUSTAS. ”

P.S.: Me considero feminista e me depilo semanalmente :)


03/03/2014 - Categoria: Cinema e TV - Autor(a): Mariana Fernandes

Selfie mais famoso de todos os tempos - by: Ellen DeGeneres

Depois do selfie mais famoso de todos os tempos e zilhares de brasileiros largando suas noites de bebedeiras de carnaval – ou não – para sentar no sofá, colocar na TNT (ou tentar a sorte na internet) o Oscar 2014 passou e com ajuda de Ellen DeGeneres assistimos uma das melhores edições de todos os tempos.

selfie

Não sei se esse ano estava bastante ligada nas apostas do vencedores ou era especialmente um grupo de amigos que me fez ter essa sensação, mas acredito que em 2014 mais olhos se voltaram para as telas para agraciar essa cerimônia que agrada/irrita tanta gente.

Pizza no Oscar 2014

É impossível parar para comentar de tudo o que aconteceu sem um equipe ~ xicante ~ sem falar que o sono é algo inevitável entre os comerciais zilhardários, que me faz pensar na felicidade das marcas Samsung, Twitter e Big Mama’s & Papa’s pela interação da apresentadora – Ellen DeGeneres – com essas marcas, chegando a distribuir pizza para todos em mais uma de suas palhaçadas de aparecer no meio da platéia, além do selfie mais famosos do mundo, claro.



Falando das apresentações, não podemos esquecer da linda Pink nos contemplando com “Somewhere Over The Rainbow“, que bateu aquela emoçãozinha, mas que arrasou – que diga Meryl Streep – com seu chapeuzinho foi Pharrell Williams cantando “Happy”, indicada na categoria de “Canção Original”, mas que infelizmente perdeu para Frozen com a arrebatadora Let It Go”pelo menos uma música a altura.

Apresentação Happy

Já os vencedores, fizeram rir, chorar e comemorar com muita coisa, mesmos na premiação de melhor fotografia, pois na minha cabeça Waltter Mitty (não foi indicado) venceria de lavada, por não ter sido usado nenhum chroma key e toda a beleza ter sido a mais pura realidade.

Leonardo DiCaprio

Sem querer discutir com quem merecia ou quem não merecia, principalmente com os fãs do DiCaprio, vou deixar a lista dos ganhadores e me diga o que achou!

Melhor filme: 12 Anos de Escravidão
Melhor diretor: Alfonso Cuarón – Gravidade
Melhor ator: Matthew McConaughey – Clube de Compras Dallas
Melhor atriz: Cate Blanchett – Blue Jasmine
Melhor ator coadjuvante: Jared Leto – Clube de Compras Dallas
Melhor atriz coadjuvante: Lupita Nyong’o – 12 Anos de Escravidão
Melhor canção original: Let it Go – Frozen: Uma Aventura Congelante
Melhor roteiro original: Ela
Melhor roteiro adaptado: 12 Anos de Escravidão
Melhor documentário em longa-metragem: A Um Passo do Estrelato
Melhor documentário em curta-metragem: The Lady in Number 6: Music Saved My Life
Melhor longa estrangeiro: A Grande Beleza
Melhor fotografia: Gravidade
Melhor figurino: O Grande Gatsby
Melhor montagem:Gravidade
Melhor maquiagem e cabelo: Clube de Compras Dallas
Melhor trilha sonora: Gravidade
Melhor design de produção: O Grande Gatsby
Melhor longa de animação: Frozen – Uma Aventura Congelante
Melhor animação em curta-metragem: Mr. Hublot
Melhor curta-metragem: Helium
Melhor edição de som: Gravidade
Melhor mixagem de som: Gravidade
Melhores efeitos visuais: Gravidade


25/10/2013 - Categoria: Música - Autor(a): Mariana Fernandes

New  - Paul MccartneyNão é preciso contar a história de Paul McCartney para saber que o seu novo álbum é no mínimo genial. Após 7 anos sem lançamento de canções novas, o ídolo lança New, um álbum com uma proposta jovem, muito diferente de seus trabalhos anteriores.

Screen-Shot-2013-10-24-at-11.04.39-AMDia 15 de Outubro o álbum New de Paul McCartney foi lançado com o objetivo de contrapor o seu álbum anterior que relembrava músicas antigas do cantor, e para surpresa de muitos, esse novo álbum apresenta um homem de 71 anos mais cheio de juventude do que muito jovenzinho por aí.

paul-mccartney - Queenie Eye 01Com 14 faixas, New foi produzido por 4 produtores, pois de acordo com Paul ele não conseguiu definir quem era melhor e a junção de Mark RonsonEthan JohnsPaul EpworthGiles Martin trouxe uma diferença de estilos marcante.

paul-mccartney - Queenie Eye 02Com forte presença na internet o álbum já está disponível em formato físico, no iTunes e no Rdio sendo possível ouvir gratuitamente na internet sem a necessidade de baixar. Mas para quem acha que já acabou, ontem, dia 24 de outubro, foi lançado o clipe da música “Queenie Eye“, com uma simplicidade incrível se não fosse a presença de famosos como: Johnny DeppKate MossMeryl StreepJude Law e assim segue a lista de cachês milionários, que mesmo presentes não passam de pessoas curtindo a música contagiante que Paul canta ao tocar seu piano.

Curta o clipe e não deixe de ouvir New, um dos melhores álbuns do ano.