Modo Meu

nintendoTag:

15/07/2016 - Categoria: Internet - Autor(a): Mariana Fernandes

Youtubers no Japão

Mês de Julho já está na metade, eu sei! Mas deu aquela vontade das nossas sextas temáticas gostosas. Seguinte, para você que não sabe do que eu estou falando, é que todo nós aqui do blog escolhíamos um tema e falávamos sobre ele na sexta, e por que não falar sobre o universo oriental que tanto gostamos?!

Para começar com essa série curtinha, já percebeu que youtuber tá amando o Japão/Coreia/China e por aí vai? O que eu tenho a dizer sobre isso? APENAS CONTINUEM! Vou morrer de invejinha aqui, mas pelo menos tenho uma porrada de conteúdo para ver no tempo livre. E como essa serhumaninha que vos fala é miga compartilhadora, vou repassar para os meus leitores chuchu beleza, em duas categorias, de vídeos do youtube sobre a Ásia que ando vendo ultimamente.

Categoria 1: Estão por lá – youtubers que estão morando na Ásia

Camila_Pipoca

Camila Pipoka – Uma brasileira que mora no Japão desde muuuito novinha e por mais incrível que pareça não perdeu nada do estilo brasileiro de ser (o lado positivo, hein). O legal do canal da Camila é que além de poder conhecer várias particularidade do Japão, ela ainda ensina alguns costumes e palavras para quem está planejando morar/visitar o país.

JNCD

Japão nosso de cada dia –  Se é um canal de curiosidades sobre o Japão  que procura, esse com toda certeza é o mais indicado. De testes das bugigangas a prova de comidas e visita a locais, o canal é repleto de conteúdo exóticos e divertidos.

LOMA

Loma Sernaiotto – Sabe aquele blog famoso que dá dicas para outros blogs a crescerem? Pois bem, a Loma (dona daquela maravilha de site) está morando na Coreia do Sul e aos poucos está nos mostrando o ritmo da vida no país. Se comparar os canais dessa categoria ela é o menor e tem menos vídeos, mas é muito bom ver o aprendizado dela, tanto no Youtube quanto no país que eu amo nos vídeos dela.

Simon_and_Martina

Eat Your Kimchi – Vamos falar de gringos falando de gringos? Esse é um canal de um casal canadense, Simon and Martina, que mudou para a Coreia e agora está no Japão, entendeu? A dupla apresenta a cultura, as diferenças, as curiosidades e as dificuldades de morar em países Asiáticos, principalmente por que são duas pessoas gigantes perto dos nativos.

Categoria 2: Já visitaram as terras do sol nascente

Just Lia

Just Lia – Uma das primeiras blogueiras a fazer vídeos do Japão, é visível que a Lia já conhecia e ama a cultura oriental, e por mais antigos que os vídeos sejam (estamos em tempos que uma semana é uma eternidade) ainda é maravilhoso de ver.

Karo_Pinheiro_japão

Karol Pinheiro –  Essa sortuda “ganhou” uma viagem para o Japão da Uni-ball – marca de canetas que todo designer curte, inclusive eu – ano passado (2015). Sabe o que é uma pessoa feliz e extremamente animada com a viagem?! Pois é, não espera por menos dos vídeos suuuuper animados de uma pessoa de bem com a vida andando por Tokio.

Torrada_Torrada-Japão

Torrada Torrada – Que a Luanda (dona do canal) é diferentona, disso todo mundo sabe e é isso que a faz tão legal. Para viajar não seria diferente, no lugar de ir para o Japão, ela foi para a terra da minha amada Mulan, a Chinaaa (ouviu o eco do filme aí? hihi). Só por ser um país diferente já tá valendo a visualização, mas também vale dizer que a qualidade é ótima tanto desse estilo de vídeos, quanto as receitas que ela faz.

helo

Dela Rosa – Falou em blogueiro maluco por cultura oriental, a maior referência é Heloisa Dela Rosa, pelo menos é o que eu acho. Ela consegue viver na Ásia em pleno Brasil. Mas como assim? A Helo conhece muito sobre Japão e Coreia, então desde roupas, comida e decoração ele faz o possível para carregar essa cultura com ela. Ah, não faz muito tempo que ela fez uma viagem para o Japão e para a Coreia, então pode esperar ver muita coisa legal no canal dela.

Mikannn

Mikannn –  Lembra dos vídeos Bloco X do canal Omelete? Pois bem, a Míriam Castro estava lá, no comecinho, sempre responsável por comentar de animes e games, o que deixava os vídeos com uma variedade enriquecedora. Pois é, ela saiu do Omelete, passou um tempo e criou um canal que fala sobre séries, games, anime e muuuito GOT. Ano passado a Míriam fez uma vaquinha e conseguiu ir para o Japão e mostrou muita coisa legal na visão de uma otaku (fã de cultura japonesa).

Ela até tentou nos mostrar a Nintendo, pena que tinha que marcar com antecedência, mas o mais legal é ver que ela sabe falar japonês. Dá uma invejinha …

kahbak

E aí, beleza? – Uma das últimas youtubers na minha lista que mostram sua viagem para o Japão, foi a Karen Bachini e sinceramente ela incorporou a japa, pois as roupas e o estilo das fotos e vídeos estão espetaculares. Para as meninas que curtem moda e beleza, o canal da Kabak é um prato cheio.

Ahhhhh, junto com ela foram também os youtubers: Luba e Gabbie Fadel, como eu ainda não vi, não tenho como dizer como é, mas tá aí a dica dos dois também.

Esses foram os que eu assisti e gostei. Se você conhece algum outro canal que fez ou está fazendo um conteúdo bacana sobre sobre países asiáticos, comenta aqui pra eu poder conhecer também.


20/03/2015 - Categoria: Console - Autor(a): Dyego Cruz

Zelda-a-link-to-the-past

Há muito tempo atrás, no reino de Hyrule, cercado por montanhas e florestas, contava-se lendas sobre um poder dourado onipotente e onisciente que residia em uma terra escondida.

Muitas pessoas procuraram entrar na oculta Ilha Dourada agressivamente, mas ninguém nunca retornou. Até que um mal começou a fluir da terra dourada e o Rei ordenou a sete sábios que selassem o portão.

Esse selo deveria ter permanecido selado durante todo o tempo, mas um assistente misterioso, conhecido como Agahnim, veio para Hyrule e liberar o selo. Além de eliminar o bom rei, através de magia negra, ele começou a fazer descendentes dos setes sábios desaparecer, um após o outro. E o tempo de destino para a princesa Zelda se aproxima.

Zelda-a-link-to-the-past-1024x764-gameplay

Para bom conhecedor, mesmo com minha tradução rústica, essa é a história de introdução de um jogo desenvolvido pela Capcom e lançado para o queridinho console SNES (Super Nintendo) em 1992.

UPDATE: O jogo originalmente foi desenvolvido pela própria Nintendo, a Capcom somente teve alguma relação com ele quando lançou The Legend of Zelda: A Link to the Past para GBA juntamente com o jogo desenvolvido por ela própria, chamado The Legend of Zelda: Four Swords em 2002.

The Legend of Zelda: A Link to the Past não é cronologicamente o primeiro jogo da série, mas assim como vários da mesma época, ele foi considerado um dos melhores da história devido ao seu enredo e jogabilidade.

De alguma forma totalmente inesperada, Link é introduzido em uma aventura para salvar a princesa Zelda, que até lembra um certo encanador, mas só que aqui não tem tartarugas e o personagem usa magia e manuseia um escudo e uma espada para lutar contra o vilão que tenta a todo custo dominar o poder da Triforce.

Zelda-a-link-to-the-past-mapa

Com mapa que te dá uma certa “liberdade” para transitar e decidir o seu caminho, é possível encontrar vários ítens escondidos nos arbustos, nos vasos (que ninguém liga se você sair por aí quebrando) e nos clássicos baús que são encontrados por aí.

O jogo ainda é algo que se pode admirar até hoje, tanto pelo seu enredo quanto pela sua jogabilidade com vários puzzles. Além do SNES, A link to the past também teve uma versão para GBA (Game Boy Advance) em 2002 e para o serviço Virtual Console  do Wii em 2007, mas para o caso de você não ter nenhuma das opções que falei, ainda é possível jogar com um emulador no seu computador.

Zelda-a-link-to-the-past-itens

Espero que tenha gostado de relembrar ou de conhecer este jogo e que se tiver algo para comentar sobre ele, deixa aí nos comentários e até semana que vem com mais um post da série de jogos clássicos.


14/10/2014 - Categoria: Eventos - Autor(a): Alan Jônatan

brasil-game-show-bgs-entrada

A feira voltada para o público gamer, Brasil Game Show, ocorreu de 08 a 12 de Outubro e teve mais de 250 mil visitantes durante esses cinco dias e teve como destaque Mortal Kombat X e Resident Evil Revelations 2.

Confira um resumo de tudo que aconteceu na feira:

Microsoft – X-box

microsoft-xbox-bgs

Esse ano a Microsoft investiu para ter o stande que mais chamou atenção na feira. Fácil de ser encontrado por causa de sua cor verde limão e com diversas novidades, o destaque ficou por conta do jogo do X-Box One Sunset Overdrive, e a quantidade consoles disponíveis para quem quisesse testar o jogo.

X-Box One Sunset Overdrive

Playstation

playstation-sony-bgs

Um dos três maiores estandes da feira, sendo os outros dois da Warner e da Xbox. Aqui o destaque era o game The Order: 1886, franquia inédita da Sony com bons gráficos e história que parece ter saído do cinema. Mas para quem se empolgou com ele recebeu a notícia que infelizmente jogo só sai em 2015, então só nos resta esperar.

Warner

jovem nerd e matando robôs gigantes mrg na bgs

O estande que era uma arena e teve presença de grandes personalidades da internet . Ganhou um estilo cinematográfico na apresentação dos jogos Dragon Age: Inquisition, um preview do game de zumbis Dying Light e uma partida em conjunto com os visitantes e o pessoal do site Jovem Nerd e Matando Robô Gigante no game Battlefield Hardline onde quem matasse um dos convidados na faquinha ganharia uma camiseta.

Foi nesse estande também que ocorreu a final da etapa brasileira da Capcom Pro Tour, liga mundial do game, e que teve como vencedor o paulistano Eric Moreira, conhecido como “Chuchu”, da equipe CNB.

A Nintendo e a Blizzard se ausentaram dessa edição da feira. :(


11/09/2012 - Categoria: Console - Autor(a): Caio Túlio Costa

Considerado um dos personagens mais carismáticos de todo o universo Nintendo, Kirby é uma das franquias mais bem sucedidas da empresa japonesa. Desde sua primeira aparição em “Kirby’s Dream Land“, em 1992, a bolinha rosa vem conquistando um público fiel com suas tramas.

Criado por Masahiro Sakurai (Super Smash Bros.) e produzido pelo estúdio HAL Laboratory (EarthBound), Kirby deu as caras pela primeira vez na telinha monocromática do Game Boy. Sua cor foi uma incógnita no começo. Enquanto alguns produtores o imaginavam rosa, Shigeru Myamoto (principal desenvolvedor da Nintendo) só conseguia ver Kirby na cor amarela. Quando o jogo foi importado para o ocidente, a ambiguidade foi tão grande que os próprios responsáveis pela Nintendo na América resolveram colorir Kirby com tons vermelho claro. Só depois de muita discussão, a opção rosa foi adotada de vez.

Nos jogos da franquia Super Smash Bros. em que Kirby aparece, suas skins variam entre cores diversas, indo desde a rosa padrão, passando pelo amarelo de Myamoto, vermelho lutador, azul gelo e outros. Todos garantindo Power Ups e melhorias para o personagem.

O universo de Kirby é algo simples e fácil de se compreender. No reino de Dream Land, um déspota chamado King Dedede rouba toda a comida de seus habitantes e também todos os meios de se obter recursos. Cabe a bolota rosa acabar com essa tirania e resgatar os direitos da população. Com muitos aliados e inimigos, Kirby tem um cenário um tanto quanto infantil ou feminino, mas que consegue agradar a todos com seus mínimos detalhes. A partir desse enredo, a história se desata e ramifica, dando origem a vários jogos.

Kirby no Modo Meu3

Seus poderes são bem peculiares. Absorção de ar, que permite Kirby voar por certo tempo ou atingir inimigos com rajadas de vento; Absorção de Moléculas, que após sugar um inimigo como um aspirador de pó, o permite copiar suas células e alterar o próprio DNA para usar suas habilidades; Elasticidade, que faz com que muitos golpes não o atinjam; Multiplicação e diversos outros.

Kirby no Modo Meu4

Kirby possui atualmente mais de 20 títulos protagonizados que estão espalhados por várias plataformas, desde o Game Boy ao Wii. Já em outras mídias, o rosinha atua como personagem jogável da franquia Super Smash Bros., teve seus próprios quadrinhos e possui até uma série em anime, o “Kirby of the Stars”, que segue a ordem cronológica dos jogos e está compilado em 100 episódios.

Confiram um pouco do Gameplay de Kirby para SNES:

Kirby no Modo Meu5

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.


02/08/2012 - Categoria: Console - Autor(a): Caio Túlio Costa

Além dos convencionais jogos de Pokémon para os portáteis, a Nintendo teve uma grande sacada: Combinar a aclamada franquia de Satoshi Tajiri com o estilo Mystery Dungeon, que é muito popular nas terras nipônicas.

A partir dessa mistura, os fãs de Pokémon e também “Nintendistas” puderam conferir a nova série de jogos dos monstrinhos de bolso, a Pokémon Mystery Dungeon. Lançada em 2005 para Game Boy Advance e produzida pela Chunsoft (Dragon Warrior), a nova franquia dos portáteis explorou um novo patamar dentro dos RPGs. Com a jogabilidade baseada em turnos e todos os seus passos refletindo nas características do ambiente, o jogo foi amado e odiado por muitos, o que não quer dizer que tenha afetado o seu quadro de popularidade.

O enredo é bem diversificado. O jogador assume o papel de um Pokémon que será escolhido a partir de um pequeno teste de personalidade, dependendo de sua versão do jogo.

O protagonista perdeu todas as suas memórias e não se recorda de nada. A partir de então, cabe ao jogador inserir o monstrinho de volta na “sociedade” Pokémon e assim fazer missões de resgate e explorações pelo vasto universo dos monstrinhos. Ao longo da jornada, podemos descobrir mais sobre nosso passado e entender alguns mistérios que estariam relacionados. Lógico, será apresentado um vilão e toda a complexidade da trama, que norteará o jogador.

Esquemas de habilidades, ataques, atributos e evoluções estão presentes, assim como o trabalho em conjunto da inteligência artificial do game, que será um grande “parceiro”. As missões são realizadas na maioria das vezes por equipes. Diferente dos jogos convencionais, onde você captura Pokémons, em Mystery Dungeon nos tornamos amigos e assim ganhamos a possibilidade de recrutá-los futuramente.

Mesmo com sua estranha temática e fórmula esquisita, Pokémon Mystery Dungeon já cativou a muitos com seus até então 5 títulos distribuídos entre os portáteis Game Boy Advance e Nintendo DS. Várias referências e homenagens foram criadas para a franquia: Um episódio especial da animação, que retrata um pouco do dia a dia de Mystery Dungeon e também uma compilação de quadrinhos idealizada pela revista Nintendo Power.

Confiram o mega-comercial do lançamento do último título no Japão:

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.