Modo Meu

reviewTag:

28/05/2013 - Categoria: Música - Autor(a): Pedro de Farias

13-daft-punk-random-access-memories

Meu amigo, se você ainda não leu nenhuma notícia sobre esse disco, é porque você vive numa caverna à prova de notícias sobre música boa.

Depois de quase 8 anos, o duo Francês de música eletrônica mais legal do mundo (sinto muito Justice, mas ainda não) torna a lançar um álbum de inéditas (não estamos contado a trilha sonora de TRON: Legacy). Dessa vez com todo o hype de uma grande banda que retorna para defender o título da genialidade obtido com os dois lançamentos anteriores ( O fantástico Discovery e o bom Human After All) e com o apoio gigantesco da gravadora Columbia, que tenta provar a importância das gravadoras no novo mundo da música digital, como explicaram nossos amigos do Gizmodo.

Vamos ao que importa: A música!

O disco é surpreendentemente orgânico, oque é até irônico, uma dupla de música eletrônica nos trás de volta de maneira messiânica os sabores e prazeres de músicas bem tocadas com instrumentos de verdade.

O primeiro single, lançado mês passado, Get Lucky representa bem o conceito do trabalho todo. Músicas Disco dos anos 70’s (fonte de onde o Daft Punk sempre tirou muita coisa) com muito suíngue e participações especiais. No caso do primeiro sigle, de Pharrel Williams nos vocais e do lendário Nile Rodgers na guitarra. A dupla tem lançado no canal do Youtube The Creators Project vídeos-documentário sobre os convidados.

E aqui fica a dica: Assista pelo menos o vídeo sobre Nile Rodgers, que além de mostrar que você, não importa quem seja, conhece pelo menos duas músicas onde ele toca guitarra. E onde ele dá um depoimento emociante sobre sua relação com a música e como tocar com outras pessoas não tem a ver apenas com trabalho, mas é uma troca de alma.

O disco ainda conta com a participação de Julian Casablancas, vocalista do The Strokes, que tem explorado cada vez mais o uso de falsetes (Isso o Rodrigo Amarante não consegue imitar). Na faixa “Instant Crush“.

De Giogio Moroder na faixa que é totalmente feita em sua homenagem, “Giorgio by Moroder”, onde no começo da faixa ele mesmo explica como se tornou produtor e como gosta de fazer música.

E outros.

Escute! É uma obra de paixão e louvor à musica dos bons tempos que hão voltam mais.

Daft Punk me mostrou a luz.


02/04/2013 - Categoria: Games - Autor(a): Mariana Fernandes

Lara-Croft-Tomb-Raider-ReviewLançado em 5 de Março de 2013, o novo Tomb Raider promete ser um dos melhores jogos do ano. A nova versão de Lara Croft  com o modelo de corpo e rosto da atriz britânica Camilla Luddington, virou motivos de conversas e expectativas, pois finalmente veríamos uma mulher de “verdade”, já que a personagem sempre foi vista como um brucutu.

Tive a oportunidade do jogar o novo Tomb Raider esse final de semana com o Dyego e passamos literalmente um domingo feito zumbis para fazer esse review, já que jogamos das 10:00 as 22:00 e vergonhosamente nos revezando para comer e não parar o jogo. Todo esse esforço para eu tentar falar um pouco mais do que as demais resenhas, mas sem dar spoilers.

ads_Tomb_Raider_2013Depois de tentar identificar todas a vantagens apontadas pela a crítica, como: a feminilidade da Lara, a dor que antes não era tão vista no games passados, o realismo nas atividades do jogo, ganho de experiência e o cabelo que sinceramente não fiz tanta questão de perceber. Todas essas vantagens, sem dúvida foi o que deixou o jogo mais atrativo e me fazendo querer várias continuações.

Além dos detalhes que fizeram toda a diferença, o jogo possui traços muito fortes de RPG devido a necessidade de exploração de ambientes para ganho de experiência e no novo estilo de pontaria livre que me faz lembrar muitos jogos de 1˚ pessoa, o que para mim é uma desvantagem já que minha pontaria é uma porcaria.

tomb-raider-2013-game-TechSempre.comComo tudo não são as mil maravilhas e eu não sou mãe de ninguém que ajudou na realização do jogo, a parte mais falha para mim é a evolução de armamento que vai contra a realidade nesse jogo, pois a cada quantidade de fragmentos é possível melhorar um dos seus armamentos que a personagem encontra pelo caminho, sendo o primeiro um arco a flecha artezanal que ao longo do jogo e melhoria que ganha, ele deixa de ser de madeira, cordas e remendos e passa a ser de metal todo entalhado lembrando uma arma medieval.

tomb-raider-e3-2011-fire-torchBem, com vantagens e desvantagens Tomb Raider ainda promete ser o jogo do ano, pela sua inovação sem deixar a desejar. Se a sua dúvida de compra era apenas por uma dica, aqui está ela então e com adicional de ajuda na compra, indico o jogo para PC na Steam, pois além de ser mais barato, dizem as más línguas que ele é o melhor em detalhes, para os que presam por gráficos.

Links para compra

Tomb Raider 2013 PS3

Tomb Raider 2013 xBox 360

Tomb Raider 2013 Steam PC Windows