Modo Meu

São PauloTag:

04/11/2016 - Categoria: Design - Autor(a): Mariana Fernandes

lancamento-wdcdsp2016_cred_rodrigo-braga_divulgacao_3

Já parou para pensar como você/sua profissão pode ajudar a sociedade? Não sei você, mas eu costumo pensar muito sobre o que eu estou fazendo pelo mundo, o problema é que quando estamos nessa área de comunicação visual, é difícil enxergar como o nosso trabalho pode influenciar na sociedade. Para colocar esse assunto em questão é que o evento “What Design Can Do” tem a sua segunda edição em São Paulo, com mais de 20 palestrantes nacionais e internacionais.

Com o intuito de trazer “discussões inspiradoras sobre o poder do design como comportamento e ferramenta de transformação da sociedade” o WDCD acontece nos dias 13 e 14 de dezembro, na Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP).

O evento trás como palestrantes: “o arquiteto e urbanista holandês Jacob van Rijs, um dos fundadores do estúdio MVRDV; o britânico Sam Bompas, do estúdio Bompas & Parr; a estilista senegalesa Selly Raby Kane, os designers holandeses Rogier Klomp e Richard van der Laken, fundador do What Design Can Do, (…) o arquiteto croata Marko Brajovic, cujo estúdio de arquitetura no Brasil completou dez anos em 2016; o chef paulistano Rodrigo Oliveira, dos restaurantes Mocotó e Esquina Mocotó; o designer carioca Fred Gelli, cofundador do estúdio Tátil, que assina os logos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016; o jornalista André Naddeo, criador do projeto Drawfugees; e a arquiteta Bebel Abreu, do estúdio Mandacaru, também sócia e produtora do What Design Can Do no Brasil e a cantora Xênia França irá fazer um pocket show em um dos dias da conferência.”

lancamento-wdcdsp2016_cred_rodrigo-braga_divulgacao_1

Tenho que falar que tive o conhecimento do WDCD por meio de um e-mail super legal e atencioso da assessoria do evento, que nos convidou para o coquetel de lançamento, qual infelizmente não pudemos ir, mas foi amor a primeira vista! Logo de cara o tema me tomou uma curiosidade enorme e quanto mais eu pesquisava, mais os assuntos se tornaram encantadores.

No coquetel foram apresentados os seguintes microtemas de acordo com as escolhas dos participantes:

– O que o design pode fazer pela consciência cultural;

– O que o design pode fazer pela comunicação;

– O que o design pode fazer pelos refugiados;

– O que o design pode fazer pelas questões urbanas;

– O que o design pode fazer pela comida.

lancamento-wdcdsp2016_cred_rodrigo-braga_divulgacao_5

Deu para entender que esse evento é mais social e filosófico do que os eventos que eu costumo indicar aqui, mas não perde seu valor, pois além de técnicas e teorias do design é preciso entender que também temos um papel social e discutir isso é muito necessário.

Para quem se interessou, como eu já disse, o What Design Can Do acontecerá nos dias 13 e 14 na FAAP e possui um valor de investimento que varia de R$ 140,00 a R$ 690,00. Se tiver mais alguma dúvida é só acessar o site que lá tem tudo o que eu disse e muito mais. :)


18/12/2014 - Categoria: Cinema e TV - Autor(a): Angelo Fonseca

Cinema ao ar livre _ Modo Meu

Os cinemas ao ar livre não são novidades nem para nossos pais! Pois algumas décadas atrás, era bem comum os famosos CINEMAS DRIVE IN, onde pessoas iam em seus carros em um estacionamento específico a céu aberto, onde tinha uma tela de projeção enorme para exibição de filmes, e assim, muitas sessões eram abarrotadas de vários amantes da sétima arte dentro de seus carros vendo o mesmo filme. No Brasil foi muito comum nos anos 70, e hoje ainda temos o último cinema drive in em atividade, o chamado CINE DRIVE IN, que se localiza em Brasília e segue os mesmo molde dos clássicos cinemas a céu aberto. Segue link para mais detalhes: http://www.cinedrivein.com

A nível mundial, as sessões ao ar livre estão voltando, mas dessa vez, de um outro ponto de vista, literalmente. O céu estrelado aberto ainda continua enfeitando várias e várias exibições, não mais em terrenos de estacionamentos e carros, e sim nos terraços dos prédios. Ou seja, a sensação de assistir filmes em sessões de cinema a pleno céu aberto, com uma bela vista das estrelas e de sua cidade, está de volta!

Drive In

Essa novidade já teve edições em Melbourne na Austrália, com o projeto ROOFTOP CINEMA, em Genebra na Bélgica, com ORANGE CINEMA,  e também em Nova York.

No Brasil, alguns Shopping Centers, como o JK Iguatemi de São Paulo, estão implantando em suas programações a novidade, onde vem sendo muito bem aceita pelo público.

Cine View_img site Verdinha 810

E o mesmo aconteceu recentemente aqui em Fortaleza, onde o Shopping Iguatemi, em parceria com o site Cinema com Rapadura , realizou algumas exibições estabelecendo o mesmo padrão de qualidade em seus serviços, mas nesse caso foram exibidos filmes clássicos. O projeto batizado como Cine View ainda está no começo, mas infelizmente não há uma pretensão por parte do shopping ser aberto ao público, devido alguns motivos não divulgados. Uma coisa é certa, se dependesse da resposta do público, que aparentemente adorou a ideia, essa novidade seguiria bem firme.


26/11/2014 - Categoria: Lugar - Autor(a): Alan Jônatan

ron-mueck-natureza-morta-exposição-pinacoteca

Depois do sucesso no MAM do Rio de Janeiro com mais de 230 mil visitantes, na quinta feira dia 20 de novembro, houve a abertura da exposição do artista australiano Ron Mueck, muito conhecido por suas esculturas gigantes e extramente realistas de pessoas comuns, tanto é que pude perceber a admiração dos visitantes, ao ver esse realismo apresentado em sua obra.

A exposição é composta por  9 esculturas que estão ocupando o primeiro andar da Pinacoteca, mais o  espaço octógono, além do documentário “Natureza Morta: Ron Mueck no Trabalho“, qual o artista é retratado em seu ambiente de trabalho, apresentando rotina e criação detalhistas de Mueck.

ron-mueck-natureza-morta-exposição-pinacoteca-homem-na-boia

Com tão pouco tempo desde o lançamento da exposição, é possível dizer que ela também é um sucesso em São Paulo, já que no primeiro dia a espera para a visitação era de no mínimo 2 horas e meia na fila.

Para os interessados em conhecer as obras de Ron Mueck mais de pertinho, a exposição ficará em cartaz até dia 22 de fevereiro de 2015, com uma variação de preço que vai de de R$ 3,00 à R$ 6,00.

ron-mueck-natureza-morta-exposição-pinacoteca-menino-e-menina

Acredito que uma das melhores coisas que São Paulo nos oferece, é essa inundação de cultura que conseguimos ver por todo lugar, então, para quem mora aqui, ou está visitando a cidade, vale muito a pena fazer uma programação cultural, e com certeza incluir a exposição do Ron Mueck nessa lista.

Mais informações no site: http://www.pinacoteca.org.br/pinacoteca-pt/

ron-mueck-natureza-morta-exposição-pinacoteca-idosos-tomando-sol

01/01/2014 - Categoria: Followed - Autor(a): Mariana Fernandes

Prioridades para não perder tempo

Depois de duas semana praticamente trancada me dividindo entre livros, trabalho e cinema – sim, cinema por que referência é tudo – no primeiro dia do ano volto para falar sobre os processos do documentário, principalmente agora que falta tão pouco tempo para o início das gravações em São Paulo.

Fazendo os meu planejamentos de início de ano, que a propósito está no meu outro blog, percebi que possuía uma dica  dentre as que eu dei a qual não estava cumprindo que é a de publicar seus projetos. Passei tanto tempo entre livros e decisões de equipamentos que acabei deixando o blog de lado e pensando que seria melhor recomeçar em Janeiro e aqui estou, como poucas novidades de dias monótonos com cara nos livros, mas o vídeo já está sendo editado e a série começa finalmente nessa segunda eu espero.

Boa sorte para todos.


16/04/2013 - Categoria: Ilustração - Autor(a): Mariana Fernandes

Colo+CityQuando fui a São Paulo, achei que ia encontra uma cidade cinza, sem alegria e repleta de pessoas apreçadas para ir trabalhar. Sabe aquela cena que o ator está perdido andando em uma calçada em Nova York enquanto as outras pessoas então andando apressadas, quase o atropelando?! Bem era isso o que eu imaginei ser São Paulo.

Agora quando lembro de São Paulo, lembro de cores, lembro de arte por todo lado. E é por causa do projeto Color+City que mais pessoas vão lembrar.

Como fucionaCriado pelo cearense Gabriel Pinheiro e Victor Garcia com um total apoio do (pasmem vocês) Google, tem o objetivo de trazer um marco a cidade de São Paulo, que segundo eles não tem um marco como o Rio e outras cidades, o projeto Color+City pretende fazer do graffiti um marco notável da cidade.

Cidade coloridaPara quem se interessou, existem duas formas de participar: sendo o artista que irá deixar a cidade cada vez mais bela, ou o colaborador que disponibilizará um espaço para ser embelezado.  As pessoas que disponibilizarem o local, precisam se cadastrar e mandar imagens do local, já o artista pode reservar a parede por até 35 dias. Para saber mais é só acessar o site.