Modo Meu

sérieTag:

06/06/2013 - Categoria: Séries - Autor(a): Mariana Fernandes

A Menina sem QualidadesA procura de séries de boa qualidade, eis que me surge “A Menina sem Qualidades“, o primeiro investimento em série de dramaturgia no canal MTV, que estreou na última semana de maio e estava se mostrando bem sucessida com apenas duas semanas de exibição.

Com o roteiro adaptado do romance alemão “O Homem sem qualidades” pelos roteristas: Felipe Hirsch, Renata Melo e Marcelo Backes, a série apresenta uma história bem psicológica que confesso me intrigar bastantes a cada final de episódio com o gostinho de “quero mais”, aquele tipo de série que se já tivesse terminado você assistiria toda em um dia sem dificuldades alguma.

Ana e RodrigoA história da menina de 16 anos, de nome Ana (Bianca Comparato), que se juga sem qualidades, ao contrário do que aparenta ser, já que por mais estranha que a garota aparente, a quantidade de livros lidos por ela são impressionantes. Envolvendo muita psicologia, a série apresenta temas como descoberta da sexualidade e bullying que nesses primeiros episódios rodam a vida da garota e as poucas pessoas com que ela se envolve.

Com previsão de 12 episódios, A Menina sem Qualidades está no atual momento (06/06) com 6 episódios lançados, exibição de segunda a quinta na MTV e a melhor parte é que após seu lançamento no canal, cada capítulo é postado na internet para os que perderam um dia ou outro.

Ana e professorProduzida pelo Estúdios Quanta junto com Quanta Post, a série chama atenção pelo estudo de fotografia elaborado de ótima qualidade, além do ótimo time de atores e trilha sonora invejável, dando a impressão de ser uma produção estrangeira. A Menina sem Qualidades definitivamente já virou um vício sem esforços, a história de Ana e a sua forma de pensar me encontrou.


08/11/2012 - Categoria: Séries - Autor(a): Dyego Cruz

Game of Thrones no Modo Meu

Depois de tanta matança, sangue, traição, batalhas, incesto e muitos outros termos existentes na série, hoje vou falar sobre algumas curiosidades que por muitas vezes nos passam despercebidas, embora bem interessantes.

game-of-thrones-Daenerys-Targaryen_modo_meu

Já reparou na cor dos cabelos de Daenerys Targaryen (Emilia Clarke)? Pois é, aquele cabelo não é pintado e nem é o cabelo dela de verdade, mas sim uma peruca feita com cabelos humanos que pode ter certeza que custaram caro (por volta dos 7 mil obamas). A personagem Cersei (Lena Headey) também utiliza esse tipo de peruca, que com certeza dão muito trabalho antes das filmagens (cerca de duas horas de preparação).

Sansa-Stark-game-of-thrones-modo-meu

Outro cabelo interessante mas que não é peruca, é o de Sansa Stark (Sophie Turner).  Ela naturalmente é loira, e como é muito nova não podiam utilizar tinturas para cabelo. A solução foi inventar uma mistura de aquarelas e originar essa maravilha que ficou na série. A mão de obra continua sendo grande, pois o cabelo tem que ser refeito quase que semanalmente já que sai na lavagem.

Algo muito curioso também são os cabelos dos MUITOS mortos, que parecem ser muito reais. Na verdade são, mas esses cabelos em particular foram tirados das perucas usadas pelos dublês dos mortos.

GOT-game-of-thrones-modo-meu

As únicas que escaparam das perucas foram Arya Stark (Maisie Williams) e Brienne (Gwendoline Christie). Mas infelizmente não conseguiram escapar das tesouras para interpretar seus personagens.

O grande responsável por essas transformações “cabelísticas” é o hair stylist Kevin Alexander.

Via Game of Thrones BR
Pauta indicada pelo amigo @phsantos do iradex.net

 Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail;  Sério mesmo cara, manda aí! Você pode haha, o blog é nosso.


08/10/2012 - Categoria: Séries - Autor(a): Pedro de Farias

Modern Family no Modo Meu

Semana retrasada estrearam as novas temporadas de algumas das melhores séries americanas.

Dentre elas a minha preferida atualmente: Modern Family!

A série que monstra como nenhuma outra as alegrias e dificuldades do mundo atual, permeado por seus contrastes. De idade, opção sexual, raça e comportamento. Um verdadeiro retrato do mundo moderno.

Pra quem não conhece, a série gira em torno de da família Prichet, que o patriarca Jay   tem como mulher a bela e bem mais jovem colombiana Glória, que tem um filho do primeiro casamento, Many, um menino prodígio. Jay tem dois filhos, Mitchel, que é casado com Cameron (O melhor personagem da série em minha opinião, além de carregado de estereótipos, gay, gordo e desastrado) e eles criam sua filha adotiva (e filipina) Lily. A filha de Jay, Claire, tem uma família “americana clássica” com seus marido Phil e seus 3 filhos, a aborrecente Haley, a estudiosa e dedicada Alex e o travesso Luke.

UFA.

É uma mistura de culturas e comportamentos posta de maneira genial e incrivelmente natural, sem se deixar prender ou incentivar por tabus e pré-conceitos da sociedade, apesar de ser uma série de comédia, não cai na mesmice de debochar de minorias.

Acho que grande parte do sucesso da série se deve por ela ser um espelho da sociedade atual, muito bem representada.

Ansioso pelas novidades! Glória está grávida! E isso é o nome do episódio, por tanto não se trata de Spoiler ;

BORA VER!

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.
Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.


03/07/2012 - Categoria: Séries - Autor(a): Pedro de Farias

E é finalmente que vemos o rei da fanfarrice de volta, agora em um personagem mais sério, o terapeuta Charlie Coodson (“sério” em níveis Charlie Sheen de seriedade) que convive em meio a loucos e tem que lidar com a filha adolescente além de várias mulheres (Familiar né?).

Já vi algumas mídias falando que incomoda o fato de o seriado ser todo orbitado em Charlie Sheen, mas gente fala sério, era isso que queríamos. O cara faz o papel de si mesmo, sempre foi assim e não queremos que mude, é uma espécie de Luiz Fernando Guimarães americano ou um Adam Sandler

.

Os dois primeiros episódios não foram nada de mais, mas ainda estão muito longe de serem ruins, esperamos que a série consiga se firmar e sair da sombra de two and a half man. Que é inspiração até para os cenários, que são muito familiares.

Por enquanto, só no torrent teremos que aguardar a chegada por aqui.


04/06/2012 - Categoria: Animação - Autor(a): Caio Túlio Costa

Static Shock Modo Meu

Durante a década de 90, a aclamada DC Comics resolveu abrir espaço para que um pequeno estúdio, chamado Milestone, pudesse utilizar suas distribuidoras e gráficas para comercializar seus quadrinhos. Tudo isso se deu pelo grande potencial que o estúdio demonstrava ter. Sob o acordo de dividir parte dos lucros obtidos, a parceria foi um sucesso.

Todos os personagens produzidos pela Milestone Comics eram negros e residiam na cidade fictícia de Dakota. Embora as histórias abordassem, em sua maioria Super Heróis, temas como desigualdades sociais, conflitos entre gangues e consumo de drogas eram muito explorados em seus quadrinhos.

Principais personagens da Milestone Comics

Criado por Dwayne McDuffie e John Paul Leon, o Static Shock, ou Super Choque, foi o maior sucesso dessa parceria de editoras. A história cativante girava em torno de Virgil Hawkings, um adolescente de 15 anos, muito sagaz, bem-humorado, companheiro e descolado. Um dia, ao se ver no meio de uma briga de gangues de Dakota por acidente, Virgil é vítima de uma grande explosão de produtos químicos que afeta todas as pessoas que estavam pelas proximidades do local. Os efeitos do desastre alteram o DNA de todos, inclusive o de Virgil, que agora tem o poder do eletromagnetismo.

As vítimas do Big Bang (como foi chamada a explosão de químicos) são conhecidas como Meta-Humanos ou Transformados. A partir desse contexto, Virgil Hawkings decide se tornar um super-herói para evitar que, todos os afetados pelo desastre, que em sua maioria pertenciam a gangues, abalassem a paz da cidade de Dakota.

 No inicio dos quadrinhos, assim como na série animada, era retratada uma história fora do Universo DC. Personagens como Superman e Batman eram apenas referenciados. A partir do desenvolvimento bem elaborado do enredo e a grande aceitação do público, a série passou a exibir crossovers com personagens variados, que iam de Bruce Wayne de The New Batman Adventures até a própria Liga da Justiça, que na mesma época da animação de Static Shock, tinha uma série homônima.

Misturando muito humor, drama, aventura e ação, a fórmula do sucesso da franquia de Static Shock também era um show de homenagens. Diversas participações especiais dentro da série foram feitas com celebridades da vida real, algumas até dublando a si mesmas. O jogador de basquete Shaquille O’Neal, A.J. Mclean, o membro dos Backstreet Boys e até o cantor Lil’ Romeo, que foi responsável pelo segundo tema de abertura do seriado, foram referenciados e serviram de pontos cruciais para o desenvolvimento de arcos dentro da história.

A adaptação animada de Static Shock foi o maior motivo de sua popularidade. Produzida pela Warner Bros. Television, a série conta com 52 episódios divididos em 4 temporadas e foi exibida originalmente entre 2000 e 2004. O grande sucesso garantiu reprises em vários canais e horários, inclusive na TV Aberta.

Confira uma das aberturas da série animada:

Atualmente, Static Shock faz parte dos Teen Titans, fazendo sua primeira aparição em Terror Titans #4 e entrada oficial em Teen Titans vol.3 #69.

Me diga o que achou do post, só com sua opinião o blog pode melhorar.

Deixe um comentário ou entre em contato por e-mail.