Modo Meu

Toei AnimationTag:

24/07/2014 - Categoria: Animes - Autor(a): Elizabeth Viana

Sailor-Moon-Cristal-2014

Alguém se lembra desse anime? De 1992 a 1995 ele foi o “desenho” de maior sucesso e o mais querido entre as garotinhas. E em quesito anime da minha infância, esse fica no topo da lista, tanto que a música de abertura eu tenho no meu celular e é o toque que eu uso para identificar minhas amigas.

Pois bem, para quem lembra, para quem não lembra, e principalmente para quem não conhece, Sailor Moon contava a história de cinco estudantes, Usagi Tsukino (Serena Tsukino, que é a Sailor Moon), Ami Mizuno (a Sailor Mercúrio), Rei Hino (a Sailor Marte), Makoto Kino (Lita Kino, que é a Sailor Júpiter), e Minako Aino (que é a Sailor Vênus) que, com a ajuda de dois gatinhos, Lua e Artemis, descobriram que eram guerreiras e que estavam destinadas a salvar a terra de forças malignas. Além de salvar a terra, elas tinham que descobrir o paradeiro da princesa da Lua e a história do passado de cada uma.

sailor-moon-capa-modo-meu

Sailor Moon era uma série com 200 episódios, e composta por cinco arcos separados, intitulados de Sailor Moon (com 46 episódios), Sailor Moon R (com 43 episódios), Sailor Moon S (com 38 episódios), Sailor Moon Super S (com 39 episódios) e Sailor Moon: Sailor Stars (com 34 episódios). Possuía elementos de fantasia, mitologia grega, astrologia e mitologia romana. E o tema central era amor e amizade, mas claro que era aquele amor meio que platônico e cheio de sentimentalismo que a juventude sempre tem, e podemos ver isso em todas as cenas de Serena e seu tão adorado, quase idolatrado Mamoru Chiba (Darien Chiba ou Tuxedo Mask), eles são amantes de outras vidas.

Aiai… Infância… Tempo tão bom, tempo em que eu “brigava” com meu irmão tentando colocar na cabecinha dele que Sailor Moon era tão bom quanto Shurato, Yu Yu Hakusho e Cavaleiros do Zodíaco, e eu achava que era mesmo. Ainda acho. E eu acho que posso dizer isso, pois assisti a todos esses animes com ele. Mas tudo isso é passado… Será?!

sailor-moon-crystal

Não, não pessoas… No dia 5 de julho desse ano a Toei Animation lançou Sailor Moon Crystal, nesse novo arco a gente tem a história contada em Sailor Moon e em Sailor Moon R, só que de um jeito diferente. Sabe aquela história de algo estar igual, mas diferente?! Pois é, com a melhora da tecnologia, principalmente na área de animação, o anime não ficou só no 2D e o design dos personagens e de todo o ambiente foram melhorados também. Mas a delicadeza, aquele toque feminino e as paradinhas cheias de olhares apaixonados e suspiros ainda estão lá. O que eu achei bem legal é que essa produção é exclusiva para a internet, e o anime contará com 26 episódios e que eles irão sendo liberados sempre nos primeiros e terceiros sábados do mês e sempre às sete horas da manhã. Para acompanhar basta acessar no Crunchyroll e ser feliz, ou esperar pra assistir no Anitube e ser mais feliz ainda.

Mas se você, assim como eu, assistiu em 1992 e ainda tem a série fresquinha dentro da cabeça talvez estranhe um pouco, pois a música de abertura não é mais Moonlight Densetsu ou na versão brasileira A Lenda da Luz da Lua, e a abertura é outra, legal e fofinha, mas não é aquela que vimos quando crianças, mas ainda assim causa certa nostalgia.

E todo mundo andou fazendo uma comparação entre Sailor Moon e Sailor Moon Crystal, mas acho isso uma bobagem. Logo abaixo colocarei a abertura de quando assistia ainda criança, e da abertura atual, mas com a música de abertura A Lenda da Luz da Lua… E depois o áudio da música da abertura nova, que o nome é Moon Pride. Não julguem, só vejam e escutem… Ambas são boas. Ah, e assistam, pois é um anime bom tanto para quem já conhece quanto para quem nunca ouviu falar.


22/01/2013 - Categoria: Animes - Autor(a): Caio Túlio Costa

slam dunk no modo meu 1

A série clássica de anime e mangá “Slam Dunk” retrata um dos esportes mais difundidos e populares no mundo, o basquete. Neste esporte coletivo, criado em 1891 nos Estados Unidos, duas equipes de cinco integrantes cada disputam pontos que são marcados ao passar a bola por dentro de cestos localizados nas extremidades da quadra, seja em um ginásio ou ao ar livre.

Em “Slam Dunk”, além de disputar pontos, o protagonista Hanamichi Sakuragi briga pelo amor de uma garota. O mangá é um dos mais conhecidos do escritor e desenhista Takehiko Inoue, reconhecido mundialmente por “Vagabond” que conta a história do famoso samurai Musashi Miyamoto.

As histórias em quadrinhos de “Slam Dunk” foram publicadas pela Editora Shueisha na revista Shonen Jump entre 1990 e 1996, possuindo 276 capítulos, compilados em 31 volumes, sendo considerado um dos maiores sucessos das terras nipônicas. Chegaram a atingir a marca de 120 milhões de cópias vendidas. O trabalho é considerado um dos principais difusores do esporte entre os japoneses.

Em sua adaptação animada, “Slam Dunk” tem 101 episódios exibidos entre 1993 e 1996. Dirigido por Nobutaka Nishizawa, o mesmo de “Zatch Bell”, e produzido pelo estúdio Toei Animation, de “One Piece”, o anime fez a audiência da TV Asahi aumentar bastante, mesmo não seguindo fielmente o que é contado no mangá.

Enredo

O protagonista desta história é Hanamichi Sakuragi, um adolescente rebelde e rabugento que mesmo tendo mudado de escola, continua com uma maré de azar no amor. Metendo medo em seus colegas de colégio e sem conquistar nenhuma garota, Hanamichi se apaixona por Haruko Akagi, uma jovem que ama o basquete. Tentando impressioná-la, o garoto começa a jogar no time de sua escola, a Shohoku, e descobre que tem vocação para o esporte. Mesmo sendo forte e alto, características cruciais para o basquete, Hanamichi nunca havia jogado antes e só pensa em mirabolantes jogadas para impressionar Haruko. Isso resulta em um conflito com o capitão do time,- irmão mais velho de sua amada -, e uma rivalidade com Rukawa Kaede, um habilidoso e carismático jogador, além de dono do coração de Haruko.

slam dunk 2 modo meu

Misturando gêneros como ação, comédia, aventura e romance, “Slam Dunk” sabe retratar com perfeição os resultados de um trabalho árduo. Determinação, disciplina e superação são alguns dos pontos explorados, assim como conseguir driblar as diferenças com o objetivo da vitória. O trabalho em equipe e a amizade são recorrentes em toda a obra de Takehiko Inoue.

O basquete, assim como suas regras, regulamentos, posições e demais características são pontos de partida de vários arcos da história e servem como grande atrativo para fãs e admiradores do esporte também.

Outras mídias

O sucesso de “Slam Dunk” também o levou aos cinemas em quatro curtas animados, produzidos pela Toei Animation, entre 1994 e 1995. Os filmes são “Slam Dunk“, “Zenkoku Seiha da! Sakuragi Hanamichi“, “Shohoku Saidai no Kiki! Moero Sakuragi Hanamichi” e “Hoero Basukettoman Tamashii! Hanamichi to Rukawa no Atsuki Natsu“, todos servem de ponte entre os episódios da série animada.

Diversos jogos desenvolvidos pela Banpresto e produzidos pela Bandai foram lançados. Plataformas como Super Nintendo, Sega Saturn, Mega Drive e Sega Game Gear receberam os jogos “Slam Dunk”, “Slam Dunk 2” e “SD Heat Up”. Em 1995, a série ganhou até uma máquina de fliperama que se tornou sucesso no Japão.

Premiações

Em 1995, o mangá “Slam Dunk” ganhou o “Shogakukan Manga Award“, um dos maiores concursos do Japão. Já em 2007, foi declarado o mangá favorito na terra do Sol nascente , além de ser considerado um dos três grandes pilares responsáveis pela “Era de Ouro” da revista Shonen Jump, junto com “Dragon Ball” e “Yu Yu Hakusho”.


09/01/2013 - Categoria: Animes - Autor(a): Caio Túlio Costa

Omega no ModoMeu 1

Reinventando os Cavaleiros

Os Cavaleiros do Zodíaco é um dos grandes clássicos da animação japonesa que fez sucesso em todo o mundo, principalmente aqui no Brasil. Este anime marcou a juventude de muita gente e, recentemente, ganhou uma nova saga, Saint Seiya Omega.

A nova fase da franquia animada estreou no dia 1º de abril na emissora nipônica TV Asahi (a mesma que exibiu a série original em 1987) e está bem diferente das duas últimas (Saint Seiya e Saint Seiya: The Lost Canvas).

O autor, Masami Kurumada, não se envolveu com o processo criativo desta vez. Segundo o estúdio, Toei Animation (o mesmo de Sailor Moon e Dragon Ball), a obra é descrita como uma “história original do anime”, ou seja, não é uma adaptação direta dos enredos das outras temporadas.

Dirigida por Morio Hatano (o mesmo de alguns episódios de One Piece) e roteirizada por Reiko Yoshida (de School Rumble e D.Gray-man), a história de Saint Seiya Omega se passa 25 anos após as guerras santas, confrontos em que os Cavaleiros do Zodíaco se envolveram para salvar a deusa Atena das forças malignas.

Omega no ModoMeu 2

Novos guerreiros

Uma nova geração de cavaleiros está sendo formada para enfrentar inimigos que surgiram nesta era, onde Seiya, o Cavaleiro de Ouro de Sagitário, é tido e reverenciado como um lendário herói.

Novos e velhos personagens serão apresentados e redistribuídos no decorrer do enredo em papéis mais expressivos, o que servirá para evidenciar especulações de que a nova saga será uma continuação oficial e direta do anime clássico.

A nova trama, assim como os novos traços da animação elaborados por Yoshihiko Umakoshi, o mesmo de Street Fighter Alpha: The Animation, garantiu à maioria dos fãs uma boa aceitação, mas, em contrapartida, também desagradou muitos apreciadores conservadores, que mesmo sendo a minoria do público, alegaram que o anime clássico estava sendo “ridicularizado e infantil”.

Saudosismo

As homenagens foram pontos muito fortes na nova temporada. A trilha sonora que possui como tema de abertura uma versão “atual” da conhecida Pegasus Fantasy, foi um sucesso.

Essa nova versão da música é interpretada pela banda Make-Up, a mesma do tema antigo, com vocal da cantora Shoko Nakagawa, responsável pela aclamada abertura de Tengen Toppa Gurren Lagann. Essa versão criou um clima nostálgico, mas também trouxe um toque diferente voltado para os novos telespectadores.

Outras novidades

E os fãs não podem nem reclamar de novidades, além da nova série, a Toei Animation aproveitou o lançamento para divulgar o projeto de um longa dos Cavaleiros. Totalmente em computação gráfica, a produção será lançada para homenagear os 25 anos da franquia.