Modo Meu

ubisoftTag:

04/07/2014 - Categoria: Séries - Autor(a): Dyego Cruz

jpeg

Com o mundo cada vez mais conectado em que estamos vivendo, a tendência de séries como Person of Interest, criada por Jonathan Nolan, e jogos como Watch Dogs, produzido pela Ubisoft Montreal, é que o mundo torne-se cada vez mais próximo de suas realidades. Isso é se já não for e nós simplesmente não sabemos ou ignoramos.

Mas agora vamos lá falar um pouco sobre a realidade de cada um deles para saber o quão próximo estamos delas.

Person of Interest

Person-of-Interest-person-of-interest-30633404-1920-1080

Sinceramente eu só conheci a série recentemente na Warner e depois de começar a pesquisar, descobri que ela já está na TERCEIRA temporada, que existe desde 2011, já foi exibida pelo SBT e que já está com a QUARTA temporada marcada para Setembro de 2014. Muita coisa informação para processar ao mesmo tempo.

Enfim, a série criada por Jonathan Nolan e produzida por J. J. Abrams (sim, o mesmo que está dirigindo Star Wars Episódio VII) conta a história de um NERD (é, ele é nerd sim) bilionário e misterioso chamado Harold Finch (Michael Emerson) que desenvolveu um programa, chamado de A Máquina, que pode prever a identidade de pessoas ligadas a crimes de qualquer maneira, seja ela vítima, agressor, suspeito ou testemunha.

Com a “pequena” desvantagem de não conseguir descobrir onde e quando o crime vai acontecer, o criador da máquina, que está sempre correndo e se escondendo de pessoas que querem saber o paradeiro do tal programa, contratou John Reese (Jim Caviezel), um ex-agente de campo da CIA dado como morto que na série tem um papel de “fodão” que quebra todo mundo, resolve os crimes, salva a pele de Harold e isso tudo com a ajuda da Máquina que torna possível descobrir tudo hackeando todas as câmeras e celulares existentes.

Watch Dogs

watch-dogs-4-1020

O jogo mais recente da Ubisoft tem como enredo principal, um mundo totalmente conectado e em que cada cidade possui um tipo de supercomputador, chamado “CtOS” (Sistema Operacional Central), que controla cada dispositivo eletrônico existente e que contém informações de todos os habitantes.

É algo bem parecido com Person of Interest, mas no lugar de prever crimes, o personagem Aiden Pearce é um hacker altamente qualificado que possui um smartphone FODA capaz de controlar qualquer aparelho conforme a sua necessidade no jogo, inclusive os tais supercomputadores, para encontrar os culpados pela morte da sua família, que são pessoas que manipulam os CtOS.

Com objetivos diferentes, mas tecnologias de conectividade bem parecidas, tanto a série quanto o jogo mostram como seria o mundo se ele fosse um “pouquinho” mais conectado do que agora. O que você faria? Viveria normalmente e aceitaria os “Termos” da rede, ou seria um ativista hacker a procura de “quebrar o sistema”? hehe


02/07/2014 - Categoria: Console - Autor(a): Dyego Cruz

Child of Light Review-Screenshot-Wallpaper-Title-Screen

Eis que em tempos de tantos jogos com gráficos absurdamente realistas, surgem jogos como Child of Light para nos deixar presos a toda a sua beleza e simplicidade de sua existência. (filosofando hehehe).

Desenvolvido pela Ubisoft Montreal e lançado em 30 de Abril de 2014, este RPG fascinante nos leva a antiga Áustria de 1895 e nos conta a história da pequena Aurora, que cai num sono profundo e é transportada para o continente de Lemuria para resolver alguns probleminhas nesse mundo e lutar contra a Queen of The Night (Rainha da Noite).

Child-of-light-view-battle.1920x1080

Com esse plot o jogo pode parecer um pouco chato, monótono e tudo mais que não seja legal, mas depois de ver o trailer do jogo, depois de JOGAR o jogo, vi o quanto ele foi bem feito e o quanto deu certo, pois é um RPG baseado em turnos, mas você pode decidir se vai lutar alguns inimigos ou não e a “batalha” é algo bem mais dinâmico do que jogos como os da série Final Fantasy e Grandia e ele também tem muito da sua jogabilidade baseado em Limbo.

Child-of-Light-screenshot-11

Child of Light foi inspirado pelo Studio Ghibli, foi ilustrado por Yoshitaka Amano, o responsável pela arte de uma infinidade de jogos, incluindo eles a séria Final Fantasy, possui uma trilha sonora linda composta por Béatrice Martin e uma jogabilidade bem parecida com a de Limbo, este jogo realmente não tinha como dar errado.

Child-of-Light-screenshot-4

Se você tiver a fim de jogar, Child of Light ele está disponível para todas as plataformas na imagem abaixo.

Child-of-Light-plataformas

E só para o caso de você quiser comprar o jogo na Steam, vou deixar aqui o link de lá pra você não ter o trabalho de procurar. ;)

Child of Light – Steam

child_of_light_game_logo_wallpaper-modo-meu